Últimas

Artigo: O Voto

Antes, o voto era limitado. Poucos poderiam exercer a prerrogativa de votar e de exercer sua cidadania. Isso desencadeou um grande processo de lutas, de lutas por uma oportunidade de colocar em prática nossos direitos enquanto cidadão. Finalmente, após muitas lutas, conquistamos o direito de votar. E, quando pensamos que tudo iria mudar, afinal, agora, nós poderíamos decidir quem seriam os representantes, surge um novo problema. A banalização da mais importante ferramenta da cidadania, o voto. O voto agora é um objeto dispensável, afinal, para que votar? É, justamente, essa falta de reconhecimento da importância do voto que nos levou até esta situação que estamos agora. Inclusive, essa banalização ultrapassa a política em plano nacional e parte para as políticas estudantis, inclusive, para as próprias organizações de representações, sejam de estudantes ou de moradores de um bairro. É lamentável… No entanto, ainda acredito, com toda sinceridade, que chegará um momento que não apenas um grupo reconhecerá a importância da cidadania, mas toda a sociedade reconhecerá. Reconhecerá que a cidadania é mais que uma palavra que recheia belos discursos, mas sim uma parte essencial da vida em sociedade. Ainda que acreditemos em uma utopia futura, devemos ter em mente que se ficarmos parados, esperando os sonhos serem concretizados, jogaremos na lama não só o nosso futuro, mas o futuro do nosso país.

 

 

Kevin Miranda Soares.

Jovem de 17 anos, Presidente do Grêmio estudantil do Instituto Federal de Alagoas, campus Maceió em dois mandatos. Representantes dos discentes no Conselho Superior do IFAL Alagoas.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook