Últimas

As metamorfoses do Barcelona

Com Messi ou sem Messi, Luis Enrique consegue testar várias formas de jogar com o Barça e surpreender os rivais

A necessidade pode aguçar a criatividade de um time, algo que o Barcelona sabe muito bem fazer. Na verdade, Luis Enrique Martinez sempre afirmou que seu trabalho é “adicionar variantes ao estilo do Barça” para aumentar a imprevisibilidade da equipe nas partidas. Até o momento, o treinador sempre saiu vitorioso com o habitual 4-3-3. 



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Este é o novo Messi? | Barça monitora Carrasco | Arda Turan prova ser útil


O mais recorrente para o Barcelona é o 3-4-3, um desenho que aposta naposse de bola e reforça a presença no meio de campo, algo que já não é uma preocupação para Luis Enrique. “A posse é um meio, não um fim em si mesmo”, lembrou exatamente um ano atrás, depois de ser ultrapassado neste quesito pelo Rayo Vallecano. Antes da partida contra o Leganes, há duas semanas, ele disse que “importa mais jogos com espaços para trabalhar do que a posse de bola em si.” Naquele dia, o Barça foi a campo com um 3-4-3 que bateu os donos da casa por 5 a 1, ainda com Lionel Messi. 

É um modelo que Luis Enrique usa raramente. O espanhol é mais adepto ao 4-4-2 que testou durante a pré-temporada e na reta final do jogo no El Molinon, quando o Barcelona já ganhava por 5 a 0, recuperando um camisa 10 clássico com total liberdade de movimento e se transformando em um 4-3-1-2 com Neymar engatado à frente. Este mesmo modelo foi usado para começar a partida da última quarta-feira (28) contra o Borussia Monchegladbah. E o Barcelona também saiu vitorioso de campo, desta vez por 2 a 1.  

Jogando sem Messi, o Barcelona aposta na figura de Neymar, como aconteceu na última grave lesão do argentino no ano passado. Por isso, Luis Enrique está preocupado com que o time fique previsível. Ele repudia a posse de bola estéril e busca a vitória a qualquer custo. A equipe tem jogadores para amadurecerem as jogadas, usando o adversário e levando perigo. Só que ele também não quer sacrificar o estilo que permite a criação de boas chances com apenas três toques de bola. 

Os Culés parecem ainda assimilar essas novas propostas. Luis Enrique tem um time titular e um banco que lhe permite apostar em várias alternativas, de acordo com cada rival, ainda que a ideia permaneça a mesma como ele mesmo diz. O que o treinador faz é pensar que uma vitória é sempre melhor quando o time marca o maior número de gols possível, não importa como. 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook