Últimas

Casal preso aplicava golpes contra idosos e elevou patrimônio para R$ 5 milhões

Dupla é presa durante operação integrada em condomínio de luxo da capital

 

Um casal foi preso, durante uma operação integrada, que envolveu a Polícia Militar (PM), Polícia Civil (PC) e a colaboração do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), por suspeita de aplicar golpes contra idosos em Maceió. A dupla foi detida nessa segunda-feira (5) dentro do conjunto residencial Bernardo Oiticica, localizado no bairro do Tabuleiro do Martins.Com o golpe, a polícia informou que os suspeitos elevaram o patrimônio pessoal para R$ 5 milhões.

Foram presos José Wagner Gomes Magalhães, de 35 anos, e a mulher dele, Valdênia de Oliveira Gomes Magalhães, de 36. De acordo com o gerente da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), delegado Mário Jorge Barros, os dois são casados e já foram presos acusados de estelionato desde 2003.

Os dois foram apresentados, no fim da manhã desta terça-feira (6), durante entrevista coletiva com a imprensa, na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP). 

Enriquecimento

Conforme o delegado Mário Jorge Barros, de 2011 a 2015 eles movimentaram mais de R$ 2 milhões apenas em uma conta da Caixa Econômica Federal (CEF). Mas, Valdênia declarou uma renda de R$ 34 mil, sendo dona de casa; e ele, R$ 20 mil, como empresário.

Com os golpes, a polícia informou que Wagner realmente se tornou empresário e hoje trabalha como corretor de imóveis e tem um condomínio com dez casas e vários estabelecimentos comerciais.

A polícia descobriu que a mulher tem três CPF e ele, dois. Por meio da 17ª Vara Criminal da Capital, a Delegacia de Crimes Cibernéticos conseguiu uma decisão para que a Receita Federal e bancos fornecessem informações. Com isso, descobriram que o casal cometeu outros crimes, além de estelionato. 

Crimes

A dupla vai responder por falsidade ideológica, crime contra a ordem tributária e associação criminosa, porque há a suspeita de que mais cinco ou seis pessoas também participavam do esquema. O patrimônio do casal hoje chega aos R$ 5 milhões. 

Foram apreendidos uma BMW 2016 e também uma Honda HRV 2016. A polícia pediu o sequestro dos bens, inclusive da casa nesse condomínio Bernardo oiticica, que é um residencial de luxo. Também foram apreendidos mais de 20 cartões de crédito no nome deles e de terceiros. A parte do crime contra a ordem tributária será remetida à Polícia Federal (PF). Já o estelionato e os demais crimes continuarão sendo investigados pela pela polícia estadual. 

A Delegacia de Crimes Cibernéticos também investiga se eles aplicavam os golpes em outros estados. O delegado Felipe Caldas disse que não há como calcular o prejuízo causado ou quantas pessoas foram lesadas. 

Como a investigação começou em 2015, já tinha sido feita uma busca e apreensão na casa deles e todo o material foi para a perícia.

"Em tese, esse é um crime que não causa tanto dano, mas as investigações mostram que pode causar danos sim. Eles falsificavam boletos e aplicavam golpes em pessoas físicas, idosos", esclareceu o delegado Mário Jorge Barros. Ele revelou que a investigação teve início no segundo semestre de 2015, após 'colaborações'. 

Outro caso

Ainda durante a coletiva, a SSP divulgou a prisão de Joaquim Andrade de Oliveira, de 41 anos; Mariel Vitor Valério dos Santos, de 29, e José Bomfim Saldanha, 53 anos. Os três são suspeitos de tráfico, porte e posse ilegal de arma de fogo. 

 

Suspeitos de tráfico também foram apresentados em coletiva

FOTO: Larissa Bastos

Com os dois primeiros, a polícia encontrou 800 gramas de cocaína, 400 gramas com cada, R$ 750, 500 gramas de maconha, 18 gramas de crack e uma balança de precisão. Fora isso, a polícia apreendeu dois revólveres do calibre 38. Eles foram presos nos bairros de Jacarecica, Jaraguá e Rio Novo. 

 

Os três não têm ligação um com o outro e somente foram presos porque existiam, em desfavor deles, mandados expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

 

Gazetaweb

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook