Últimas

Daniel Coelho intensifica porta a porta na reta final

Daniel fez caminhada no Alto do C
Daniel fez caminhada no Alto do Cu, na Zona Norte do Recife. Foto: Tom Cabral/Divulgao

A 13 dias da votação para prefeito, o desafio do candidato do PSDB no Recife, Daniel Coelho, na reta final, é quebrar a polarização que se montou até aqui entre PT e PSB na capital pernambucana. A meta é tentar participar de um possível segundo turno. A dificuldade do tucano é se tornar conhecido nas periferias, onde João Paulo (PT) tem grande aceitação, sobretudo por ter gerido a cidade duas vezes, e o prefeito Geraldo Julio (PSB), finalizando o segundo mandato, é mais conhecido em relação a Daniel.

A redução do tempo de TV acabou prejudicando a divulgação em massa da imagem dos postulantes que nunca ocuparam o Executivo municipal, como Daniel. O jeito encontrado para difundir o nome e o número da campanha é o porta a porta, as caminhadas. Para João Paulo e Geraldo, esse tipo de atividade serve para reforçar os nomes, mas para Daniel é obrigação e não há tempo a perder. O tucano adotou as marchas como uma das estratégias mais fortes da sua corrida eleitoral, assim como as palestras setorias e em escolas, e pretende dar prosseguimento ao modelo até o dia 3. Há mais quatro caminhadas agendadas para esta semana.

Ter ficado em segundo lugar na eleição anterior, quase provocando o segundo turno, não ajudou Daniel a estar presente na memória da população para este ano. No Alto do Céu, nesta segunda-feira (19), o relato de moradores e comerciantes dava conta de que os votos locais serão para Geraldo ou João Paulo, embora alguns tenham dito que o bairro está dividido entre esses dois nomes e o de Daniel. Outra opinião encontrada defende fortemente o “não petismo”. “O PT de novo eu não quero nunca mais, porque só trouxe o que não presta, não só aqui, mas no Brasil”, afirmou o comerciante André Rodrigues, 59 anos, dono de um mercadinho na área há cerca de 35 anos. “O Compaz foi uma boa obra, valorizou o bairro”, afirmou a dona de casa Ana Flávia Lima, 45 anos.

“A gente tem sempre como estratégia, não só nessa campanha, mas em todas, caminhar muito, conversar com as pessoas, parar e dar atenção. A caminhada não pode ser só aquele processo de passar rápido e dar tchau. É preciso ouvir, entender. Tem problemas como saúde e segurança que estão na cidade toda, mas cada bairro tem sua especificidade. Esse momento é muito importante para absorver as demandas da população”, afirmou Daniel.

Na opinião do candidato, as pessoas já entendem a proposta apresentada por ele, mas a necessidade na reta final é o convencimento do voto. “As pessoas de fato só decidem na última semana, a gente tem sentido o crescimento da campanha”, destacou. Sobre a vinda de Lula (PT) ao Recife nesta quinta para apoiar a campanha de João Paulo, Daniel Coelho minimizou a influência do ex-presidente. “Acho que não deve contribuir nem para ajudar nem para piorar a campanha do PT aqui, não deve influenciar o cenário no Recife.”


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook