Últimas

De Bento Ribeiro para o mundo – Os primeiros passos do Fenômeno

Na semana do aniversário de 40 anos de Ronaldo, Goal relembra as origens craque, cria do subúrbio carioca

“Aqui nasceu o fenômeno”. A frase é vista por milhares de pessoas todos os dias, afinal está pintada no alto do muro do estádio do São Cristóvão de Futebol e Regatas, localizado ao lado do viaduto da Linha Vermelha, uma das vias expressas mais movimentadas da cidade do Rio de Janeiro. Ali, em letras garrafais, está a lembrança da origem de um dos maiores jogadores de futebol que o mundo já teve o prazer de assistir. Ronaldo Luís Nazário de Lima, que completa 40 anos na próxima quinta-feira (22). 



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Fenômeno é o melhor dos Ronaldos | Ábila supera Ronaldo e Fred | O time dos sonhos do Fenômeno


Antes de conseguir sua primeira carteira de federado no São Cristóvão, o menino nascido e criado em Bento Ribeiro atuou no Valqueire Tênis Clube, de onde seguiu para o Social Ramos. Foi ali no subúrbio carioca que um dos melhores centroavantes de todos os tempos deu seus primeiros passos como artilheiro. E também onde aprendeu o mínimo para ser aceito por um grande clube.

O sonho de Ronaldo sempre foi jogar no Flamengo. Aos 12 anos, conseguiu uma peneira no clube rubro-negro. Passou. Não pode ir. A infância de Ronaldo não foi miserável como de tantos outras crianças brasileiras na década de 80, mas foi difícil. Nem dona Sônia, nem seu Nélio, seu pais, tinham como bancar o transporte para os treinos. Deu adeus ao sonho de jogar no clube do coração, algo que jamais realizaria, mesmo com as portas abertas no futuro.


(Foto: Getty Images)

Por isso, a oportunidade de jogar no São Cristóvão foi considerada de ouro: além de ser mais perto de onde o atacante morava, também custeavam as passagens para os treinos no campo da rua Figueira de Melo. O menino de Bento Ribeiro, que estava longe de ser um dos melhores alunos de sua turma, enfim, nascia como o Fenômeno.

O São Cristóvão receberia cerca de 7,5 mil dólares pela venda do jogador de 1992, na época com 15 anos, aos empresários Reinaldo Pitta e Alexandre Martins. Eles seriam os responsáveis por levar Ronaldo ao Cruzeiro onde, de fato, surgiu para o mundo do futebol ao estrear como jogador profissional. Como clube formador, os Cadetes ainda levariam uma boa grana com Ronaldo em suas transferências para os grandes clubes em que jogou na Europa.


(Foto: Divulgação/São Cristóvão)

De Bento Ribeiro para Belo Horizonte, depois para Eindhoven, depois Barcelona, Milão, Madri, São Paulo – a parada final. E dentre uma carimbada e outra no passaporte, as conquistas de duas Copas do Mundo com a Seleção Brasileira, uma delas como artilheiro, três prêmios FIFA de melhor jogador do mundo, e muitos outros títulos com os clubes que defendeu.

A Rua General César Obino será sempre conhecida como o primeiro endereço de R9, e o São Cristóvão sempre será o berço do jogador. Ali, ao lado do viaduto, nasceu o craque que mudaria o nome do estádio centenário para Ronaldo Luís Nazário de Lima. O garoto suburbano dentuço se transformou em Fenômeno. É o que ele será para sempre.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook