Últimas

De salto alto, candidatos tentam vaga para ser Beyoncé na Unidos da Tijuca

 

A noite desta segunda-feira, 26, foi de muito “Single Ladies” na quadra da escola de samba Unidos da Tijuca, na Zona Portuária do Rio. A agremiação homenageará no Carnaval 2017 a cantora Beyoncé, ou para os íntimos ‘Queen B’, e realizou uma audição para escolher 100 dançarinos, entre homens e mulheres, que vão representar uma das divas mais amadas do pop em uma ala da escola.

Para participar da audição, os candidatos precisavam saber dançar o Stiletto – ritmo realizado em cima de saltos altos e bem finos –  e, claro, abusar do ‘carão’. A única exigência da Unidos da Tijuca é que os inscritos levem seu próprio salto, tenham experiência com dança e se comprometam com os ensaios.

Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)Unidos da Tijuca seleciona candidatos para ala
Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)

Fábio Costa, responsável pela seleção dos bailarinos, falou ao EGO que a expectativa é que as inscrições passem de 600 pessoas tentando as vagas na ala da escola. “Inicialmente vamos pensar em 100 dançarinos para ala, mas no final serão 140, escolhidos em duas etapas de audições. O importante é saber mais do que andar no salto alto e sim dançar em cima dele. Tem que dominar e ter presença na avenida”, disse ele, que contou que até pessoas de outros Estados se candidataram para participar: “Os fãs da Beyoncé vieram com tudo”.

Ainda de acordo com Fábio, os candidatos que vieram para a audição caracterizados podem ter mais chances. Ele dá a dica: “Acho que quanto mais dentro do personagem você estiver melhor. Apesar da dança ser em cima do salto alto, não existe mais chance para homens ou mulheres, o importante é saber encarnar a diva Beyoncé e mostrar bastante atitude na audição”.

Quem também está ajudando na missão de escolher os representantes de Queen B é Edson Damazzo, coreógrafo e bailarino da funkeira Ludmilla. “Eles, da escola, foram conhecer meu trabalho e me convidaram para ajudar na ala. Quando falou o nome Beyoncé eu já topei na hora. Sou fã mesmo e ela é minha referência como bailarino”, falou Edson, que também deu sua dica: “Tem que ter muita presença, atitude, ousadia, ser sensual, e arrasar em cima do salto alto.”

Yuri Rosa, de 22 anos (Foto: Roberto Teixeira / EGO)Yuri Rosa, de 22 anos
(Foto: Roberto Teixeira / EGO)

‘Crazy in Love’ animou a disputa:
Um dos hits de Beyoncé, “Crazy in Love”, foi a música escolhida pelos jurados para a audição dos candidatos, que em sua maioria eram homens. Um dos destaques entre os que tentavam uma vaga na ala, o carioca Yuri Rosa, de 22 anos, roubou a cena logo em sua chegada. Primeiro pelos longos cabelos rosas e depois por caminhar como se estivesse desfilando em uma passarela. Ao EGO, muito bem humorado, ele contou que era sua primeira vez no Carnaval e defendeu sua vaga na escola.

“Eu danço em cima do salto tem muito tempo e Beyoncé é minha referência. Acho que eu tenho que ser escolhido para representar as pessoas que têm um estilo mais andrógino, temos que defender essa libertação de gêneros”, disse ele, que também abusou do ‘carão’: “Quero que a Beyoncé me veja a representando.”

Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)Candidatos concorrem a vaga em ala da escola
(Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)

Everton Silva, de 20 anos, usou uma camiseta com a foto da Beyoncé para dar sorte. Ele diz que dançar em cima de salto alto é mais difícil para os homens. “Tudo questão de costume, né? A mulher já está mais acostumada, mas o homem que tem vontade tem que treinar”, disse ele, que falou da audição: “Dei o meu melhor, espero que a Beyoncé na blusa tenha dado sorte.”

Os participantes receberão a confirmação se foram escolhidos para a ala em homenagem a diva pop por email no prazo de uma semana. Eles ainda enfrentarão uma segunda seletiva, para que os 100 dançarinos sejam finalmente escolhidos e comecem a ensaiar.

‘Os homens estão arrasando’
Flávia Bianco, de 45 anos, foi uma das candidatas para a ala de Beyoncé. Ela reuniu todas suas colegas da aula de dança e vieram para a audição “Vamos tentar todas. É um estímulo para nós que já fazemos aula de Stilleto. Nosso professor chamou e viemos representar. Achei super divertido a disputa”, disse ela, que apontou os benefícios da dança: “Aprender a dançar aumenta a sensualidade da mulher e ajuda a perder calorias, é muito bom.”

A carioca acha que os homens estão melhor que as mulheres na disputa: “Eles estão arrasando demais, nós mulheres viemos para representar a diva, mas os meninos estão realmente demais.”

Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)
Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)
Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)
Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)Unidos da Tijuca, Ala Beyonce (Foto: Roberto Teixeira/fotógrafo EGO)

 


Fonte: Ego.globo.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook