Últimas

Driblando problemas, Carpegiani explica retomada do Coritiba no Brasileirão

Exclusivo! O treinador explicou o trabalho que vem sendo realizado para ajudar a livrar o Coxa do rebaixamento no Campeonato Brasileiro


GOAL Por Tauan Ambrosio 


O Coritiba vinha fazendo uma péssima campanha no Campeonato Brasileiro até o final do primeiro turno. Ao final de 18 rodadas, os paranaenses haviam vencido apenas quatro partidas e amargavam a vice-lanterna. A solução para resolver os problemas caiu nos ombros de Paulo César Carpegiani.

Experiente e gabaritado com mais de três décadas na área técnica, o gaúcho de 67 anos estava afastado do futebol desde 2013. A estreia foi contra a Ponte Preta, justamente o seu último clube antes de aceitar o desafio de ajudar o Coxa a se livrar do rebaixamento: vitória por 2 a 1. Mas o início bom não quer dizer que o trabalho de Carpegiani tenha sido fácil.

“Eu tive até uma certa dificuldade, mas eu fui conhecendo e colocando os jogadores para jogar”, disse em entrevista exclusiva para a Goal Brasil. “Em primeiro lugar eu procurei me adaptar às características dos meus jogadores. Nós não tínhamos nenhuma contratação, eu não tinha um conhecimento no primeiro jogo em casa, contra a Ponte Preta, então você meio que vai tateando. Reconheço que uma ou outra substituição não foi tanto pelo conhecimento, e sim pelo que tinha visto nos treinos”.

No último domingo, o Coxa venceu o Sport em Recife (Foto: Divulgação/Coritiba)

A principal dificuldade apontada pelo treinador foi o alto número de jogadores contundidos, antes e depois de sua chegada. No último domingo (18), na vitória inédita sobre o Sport na Ilha do Retiro, jogadores importantes como Juan, Kléber Gladiador e Neto Berola foram desfalques graças a questões físicas. Até hoje, Carpegiani só conseguiu repetir a mesma escalação uma única vez… e não durou muito.

Contra o Grêmio, o Coritiba fez a sua melhor exibição na temporada: 4 a 0 (Foto: Divulgação/Coritiba)

Na derrota por 1 a 0 para a Chapecoense, Carpegiani repetiu pela única vez uma escalação… e durou poucos minutos (Foto: Divulgação/Coritiba)

“A primeira vez que eu tive a oportunidade de repetir o mesmo time foi contra a Chapecoense, depois do jogo contra o Grêmio”, lembrou. “Mas isso foi por 10, 15 minutos, porque já tive duas lesões: Neto Berola e o Maia sentiram. Duas substituições. Então eu não tive a oportunidade de contar com todo o grupo. Tenho hoje alguns jogadores importantes que estão no departamento médico, e isso acaba atrapalhando, porque não tive esses jogadores à disposição ainda”.


GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Confira os gols da 26ª rodada! | Classificação do Brasileirão | Próximos jogos


A solução encontrada foi apostar nos atletas mais jovens, algo comum para um profissional que foca bastante no trabalho de renovação. Tudo bem pensado, dentro das inúmeras variáveis do futebol. E as escolhas tem se mostrado acertadas. Em oito jogos com Carpegiani, o Coxa já igualou as quatro vitórias que tinha nas 18 rodadas anteriores à chegada do treinador.

Carpegiani chegou na 18ª rodada. Confira a evolução do Coxa

Embora o time ainda não esteja com o equilíbrio pedido por Carpegiani, fato é que hoje o torcedor do Coxa consegue respirar bem mais aliviado quando olha para a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Os 15 pontos somados em 24 possíveis já deixaram os paranaenses a cinco de distância do Z4, na 13ª posição.

Carpegiani, no entanto, ainda acredita que o desempenho da equipe pode melhorar. Principalmente no meio de campo.

“No meio-campo, eu gostaria de jogadores com mais versatilidade. Jogadores que tocassem mais a bola. Que pudessem impor um ritmo mais forte de jogo. Eu vejo a maior dificuldade no setor do meio”, avaliou, sem deixar de comemorar os resultados obtidos nos jogos sob o seu comando.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook