Últimas

'É hora de dar o golpe neles, é hora de dar o troco', diz Lula

Lula e Jo
Lula e Joo Paulo desfiliaram em carro aberto no Centro do Recife. Crdito: Paulo Paiva/DP

 

“É hora de vocês darem o troco em todos eles que fizeram parte desse golpe”. Foi dessa forma que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, nesta quinta-feira (PSB), o nome de João Paulo como candidato a prefeito do Recife na Pracinha do Diario, em comício no Centro do Recife. O cacique petista se referiu, de forma indireta, ao fato de os deputados federais do PSB e senadores, inclusive Fernando Bezerra Coelho, terem votado a favor do impeachment de Dilma Rousseff, com apoio de Geraldo Julio e do governador Paulo Câmara.

“Eles não cassaram só o mandato de Dilma, mas rasgaram o título dos eleitores pernambucanos (…) No dia 2 de outubro, a melhor opção é dar o golpe neles (na oposição), é botar João Paulo para prefeito do Recife. É hora de dar o troco e mostrar que o povo não vive mais sem democracia”, acrescentou o ex-presidente, que fez um trocadilho com a palavra “golpe”. “Cada eleição é uma oportunidade de melhorar o que não anda bem”, afirmou Lula, pedindo o engajamento da militância para eleger os candidatos petistas.  

Segundo candidato do PT, 'eles est
Segundo candidato do PT, ‘eles esto usando a mquina pblica, mas a fora das ruas extraordinria’. Foto: Paulo Paiva/DP

João Paulo, por sua vez, relembrou o começo de seu primeiro mandato, para falar de seu legado, e fez a defesa de Lula, dividindo o ato político em dois, como todos os presentes. “E aí (no início de 2003), qual foi a felicidade de sentar naquele gabinete (da prefeitura)? Eu recebo um telefonema do presidente Lula, dizendo ‘João Paulo, eu quero que você escolha uma área para que seja o símbolo de nossa atuação’. Eu respondi ‘Lula, eu escolho Brasília Teimosa, para retirar aquelas famílias de palafitas, fazer um habitacional e dar tranquilidade’. Dias depois, Lula desembarcou na cidade com todo o seu ministério e foi lá nas palafitas e nós tiramos aquelas famílias”, contou o candidato, mencionando a importância que as duas gestões tiveram para o Recife e o estado.

“Lula, quero dizer a você que, no momento que estamos vivendo hoje, ataques por todo lado, desrespeito à Constituição, golpe na presidente Dilma, eu me sinto muito no período da Ditadura Militar, quando nós não tínhamos segurança nenhuma. Você era preso e ameaçado por cima da lei, vivendo-se, assim, o período de exceção”, ressaltou o ex-prefeito.

CUT e MST tamb
CUT e MST tambm participaram do evento, que contou, segundo os organizadores, com a presena de 20 mil pessoas. Foto: Paulo Paiva/DP

O prefeiturável ainda falou sobre o que considera sofrimento do Recife e das famílias mais carentes, cujas mães estariam sem creches e os postos de saúde sem remédios. “É uma situação desesperadora, Lula”, declarou o ex-prefeito. “Eles estão usando a máquina pública, mas a força das ruas é extraordinária (…) A maior aspiração do povo desta cidade é derrotar um projeto que matou a nossa cultura”, disse o ex-prefeito que, durante toda a caminhada, ouvia a voz do locutor que dizia: “a pesquisa verdadeira é essa, das ruas”.

No ato político, os aliados fizeram duras críticas às lideranças do PSB, ao qual chamaram de golpistas, e a Geraldo Julio. Segundo o senador Humberto Costa, o atual prefeito só tem duas obras – a Via Mangue e o Hospital da Mulher – e ambos contaram com verbas do governo de Lula e de Dilma, fato que, segundo o parlamentar, é escondido pelo adversário.  

 

‘Venha cá, meu querido’, diz Teresa Leitão para Lula

Clima – Nesta quinta-feira, ao desfilar com João Paulo em carro aberto, na Rua do Hospício, Avenidas Conde da Boa Vista e Guararapes, Lula sofreu rejeição de poucos moradores dos prédios. No entanto, a euforia dos presentes era maior por Lula do que pelo candidato a prefeito petista. Até mesmo na área vip, reservada a convidados, o ex-presidente teve dificuldade de andar e sair do carro, porque pessoas se penduravam no veículo para beijá-lo. Frases e cartazes exibidos na maior parte do caminho tinham temas nacionais, o que mostra que essa disputa nacional ainda tira o foco da campanha municipal. (A.M)


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook