Últimas

Editorial: A importância das vítimas denunciarem

A necessidade para que a Polícia de Pernambuco seja mais rápida nas investigações sobre dois casos de estupros ocorridos no Recife vem se tornando cada dia mais urgente, na proporção em que se proliferam notícias sobre outros supostos ataques sem denúncias e aumenta o medo das mulheres de circularem pelo Grande Recife. As respostas são fundamentais porque, ainda que não se considere os dois ataques como parte de uma onda de violência sexual, a sensação é de que o risco aumentou diante da proliferação de informações na internet.

Ontem, por meio de aplicativos de mensagens de celular ou redes sociais de relacionamentos, multiplicavam-se fotos do rosto do homem apontado pela Polícia como suspeito do primeiro crime. Nos grupos de mães, de amigas ou colegas de trabalho eram repassadas mensagens de alerta sobre o perigo. Cada mulher que faça seu comentário e enumere as medidas que consideram confiáveis ou cite as mudanças de hábito adotadas recentemente.

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco divulgou ontem uma série de orientações sobre como se proteger do crime de estupro. É uma medida esperada diante do alarde sem controle impulsionado em especial pela dinâmica da internet. Na espécie de cartilha da Secretaria de Defesa Social aparecem oito itens diferentes com informações para pedestres e para quem transita em veículos. Entre eles está a indicação de que não se deve circular próximo a edificações abandonadas. Outra diz que, esteja a mulher se sentido ameaçada, interrompa o trajeto entrando em um estabelecimento comercial até que a polícia seja acionada.

A Polícia Civil anunciou uma ação integrada entre delegacias para tentar solucionar os dois casos, para os quais ainda não foram presos suspeitos. As agressões investigadas ocorreram em menos de um mês e vitimaram uma estudante de medicina no bairro do Parnamirim e uma empresária no bairro das Graças. A delegada Inalva Regina disse que tem recebido informações mas pede a denúncia, no caso de haver novas vítimas. De janeiro a agosto deste ano, foram 965 vítimas de estupro feminino em Pernambuco. No ano passado, 1.230 mulheres foram estupradas nesse mesmo período.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook