Últimas

efemérides do éfemello: A volta de Parreira à seleção

Há 25 anos, ele retornava ao comando para iniciar a estrada que terminaria no Tetra


GOALPor Fernando Figueiredo Mello


A cadeira estava vazia.
 
O posto de treinador da seleção brasileira estava vago desde a saída de Paulo Roberto Falcão, em agosto.
 
Em 10 de setembro, Ernesto Paulo, da seleção olímpica – na verdade, pré-olímpica e que fracassaria no torneio classificatório para Barcelona-1992 -, assumiu interinamente o time principal em amistoso contra País de Gales (derrota por 1 a 0).
 
A voz do povo pedia Telê Santana novamente. Técnico do time que encantou o mundo em 1982 e líder também na Copa de 1986, tinha acabado de conquistar o Campeonato Brasileiro pelo São Paulo.

Telê era o preferido da torcida, dos jogadores e da mídia. Mas… (Foto: Getty Images)

Uma pesquisa entre treinadores e jogadores apontou 63% de preferência pelo mineiro. A imprensa também queria Telê… Mas quem não quis foi ele! Além de discordar dos métodos de gestão da CBF de Ricardo Teixeira, o comandante do São Paulo disse que seu ciclo na seleção já tinha sido cumprido.

A balança começou então a pender para um nome conhecido: Carlos Alberto Parreira. Membro da comissão técnica em 1970 – era da equipe de preparação física -, Parreira depois teve passagem ruim como técnico da seleção brasileira, no início dos anos 1980. Em 1991, ele era o treinador do Bragantino, derrotado pelo São Paulo de Telê na final do Brasileirão.
 
Ricardo Teixeira admirava muito o jeito de Parreira e fez o convite, aceito na hora. Após algumas conversas, o presidente da CBF antecipou o anúncio e revelou o novo técnico da seleção brasileira em 25 de setembro de 1991. 


GOALCLIQUE AQUI E GOAL
conheça o Blog efemérides do éfemello


Um mês depois, em 30 de outubro, Parreira reestreava no comando da equipe, em amistoso contra a Iugoslávia, em Varginha. Vitória brasileira por 3 a 1, gols de Luís Henrique, Muller e Raí.
 
Era o início da caminhada para o Tetra na Copa dos Estados Unidos.
 
Mas essa história fica pra outro dia… Porque todo dia é histórico.
 
Amistoso contra a Iugoslávia:


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook