Últimas

Empate foi um péssimo negócio para ambos, mas ampliou invencibilidades de Atlético-MG e Cruzeiro

Galo aumenta tabu no dérbi no Mineirão, enquanto Raposa não é derrotada pelo rival há cinco partidas

O empate por 1 a 1 entre Atlético-MG e Cruzeiro, neste domingo (18), pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, não foi bom para ninguém. O Galo ficou cinco pontos atrás do líder Palmeiras, enquanto a Raposa tem apenas duas unidades a mais que o Figueirense, primeiro time na zona de rebaixamento. A igualdade não deixou ninguém feliz, já o time alvinegro se distanciou dos líderes e a equipe estrelada não conseguiu abrir vantagem para o Z4, mas a partida teve muitos fatores interessantes, entre eles, uma curiosidade inusitada: os dois rivais conseguiram ampliar tabus sobre o outro.

O Atlético-MG não perde para o Cruzeiro no Mineirão há três anos. A última derrota foi na nona rodada do Brasileirão de 2013, quando o Galo, recém-campeão da Libertadores, jogou com uma equipe reserva e foi goleado pela Raposa por 4 a 1. De lá pra cá, foram quatro empates e três vitórias alvinegras em três clássicos no Gigante da Pampulha.

Entre esses jogos, o mais especial foi o triunfo por 1 a 0 no duelo de volta da final da Copa do Brasil de 2014, que confirmou o título alvinegro em cima do rival. Também vale destacar a vitória por 2 a 1 no segundo confronto da semifinal do Campeonato Mineiro de 2015, que garantiu o escrete atleticano na decisão estadual – depois, o time se sagraria campeão sobre a Caldense. O herói daquele embate foi Lucas Pratto, que neste domingo começou no banco.


GOALLEIA MAIS: GOAL
Galo e Raposa ficam no empate | Os números de Atlético-MG e Cruzeiro | O time histórico de Galo e Cruzeiro


Por outro lado, o triunfo por 2 a 1 no ano passado foi o último do Galo sobre o Cruzeiro, e iniciou uma invencibilidade da Raposa, que também foi ampliada no clássico deste domingo. Desde então, o time celeste não perdeu um dérbi sequer. São cinco jogos de invencibilidade, sendo três vitórias e dois empates.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook