Últimas

Ex-cineasta faz críticas à Hollywood e conta seu testemunho

30/09/2016 – 11:00

Ele atuou por dez anos e foi levado às drogas por más influências, hoje ele voltou para Cristo e tem viajado o mundo relatando suas experiências



Ex-cineasta faz críticas à Hollywood e conta seu testemunho

O ex-cineasta e ator norte-americano Scott Mayer esteve no Brasil para participar de uma palestra no Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp).

Nesse evento, Mayer criticou a indústria de Hollywood e falou sobre suas experiências como ator e depois como cineasta.

Quando estava atuando, ele trabalhava 12 horas por dia, seis dias por semana, entre os trabalhos mais famosos que ele participou estão o reality show inglês “The Biggest Loser” e o filme “A Bela e a Fera”.

Ele cresceu em uma família adventista, frequentou as escolas e até a faculdade da igreja, porém interrompeu os estudos aos 19 anos quando se mudou para Hollywood.

“Quando eu estava tentando ser ator, trabalhei em uma academia onde muitas celebridades faziam exercícios, então, conheci pessoas como o rapper Eminem, Justin Timberlake, Britney Spears, Vin Diesel, etc.”, disse.

Foi ele começar a ter contato com artistas, frequentar festas e eventos do ramo que ele passou a sofrer com as influências erradas.

“Comecei a usar drogas e por aí vai. Já não tinha mais nenhum interesse em Deus. As celebridades, no geral, são pessoas legais, mas hoje, com a visão que tenho, quando olho para trás, vejo que essas pessoas são miseráveis, pois são infelizes, suas vidas são tão centradas em si mesmas. Por esse motivo é que vemos tantas celebridades nos noticiários, fazendo coisas absurdas ou até se matando. Isso é a falta de Deus em suas vidas, e foi que aconteceu comigo”, afirmou Mayer em entrevista ao site Adventista.org.

O profissional também comentou que para alcançar a fama, os artistas estão dispostos a fazerem qualquer coisa.

Mayer ficou dez anos no mundo artístico, até que foi convidado por seu irmão para participar do reencontro de sua turma do colégio.

“Eu não queria ir, pois nessa época não tinha mais nada que me chamava atenção nas coisas de Deus. Eu sabia que se voltasse haveria igreja, oração, louvores e eu não queria mais nada disso”, afirmou.

Mas ele aceitou o convite e foi nesse encontro que ele voltou para Cristo. “Havia um jovem que estava vendo tudo isso. Eu lembrava dele, havia sido o primeiro a usar drogas, o primeiro a ser expulso da escola. Esse jovem esperou que todo mundo fosse embora e perguntou: ‘Todas estas pessoas querem saber o que vocês fizeram neste mundo, mas como está o seu relacionamento com Jesus?’ Fiquei espantado”, relembra ele.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook