Família pede para que hospital não desligue aparelhos de rapaz com morte cerebral

Renan comemorou o anivers
Renan comemorou o aniversrio de 18 anos no ltimo sbado. Foto: Facebook/Reproduo

A família do estudante Renan Grimaldi, 18 anos, que sofreu morte encefálica após um acidente de carro no sábado, dia de seu aniversário, está implorando ao hospital estadual Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, que os aparelhos que mantêm seu coração batendo não sejam desligados. 

Segundo o jornal O Globo, mesmo confirmada através de exames a morte cerebral do rapaz, a família se recusa a aceitar o falecimento de Renan. “Ele não está morto. Ele está vivo. O coraçãozinho dele ainda está batendo e os outros órgãos estão bem”, disse a mãe, em entrevista ao jornal. O diagnóstico de morte cerebral é irreversível.

Estudante do primeiro ano do Ensino Médio do Colégio Franklin Carneiro, na Zona Norte do Rio, sempre foi querido pelos colegas. O acidente que o vitimou, no último sábado, aconteceu em Olaria. A morte encefálica foi confirmada pelos médicos na última terça-feira. 

O hospital consultou a família sobre a doação de órgãos do rapaz, prontamente recusada. “Querem desligar os aparelhos e declarar a morte do meu filho, mas os órgãos estão funcionando bem. Não concordamos com essa decisão”, afirmou o pai do rapaz, Rodrigo Grimaldi.

Família, amigos e a namorada do rapaz permanecem na porta do hospital em vigília, fazendo orações pela recuperação de Renan.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook