Jéssica Ellen, de 'Justiça': 'Já trabalhei desentupindo privada de restaurante'

Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

Jéssica Ellen está em seu momento de destaque na televisão. A atriz, de 24 anos, moradora da comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio, vive o dramático papel de Rose em “Justiça“, sua primeira protagonista na telinha. Deixando de lado as angustias que sua personagem enfrenta na trama, ela posou sorridente para o EGO em ensaio de moda, usando looks de cores vibrantes, e falou nos bastidores sobre a importância de discutir o racismo e machismo na televisão. A atriz também confidenciou as dificuldades que precisou enfrentar para conseguir viver de sua arte.

. VEJA GALERIA DE FOTOS COM O ENSAIO DE JÉSSICA ELLEN

Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO
(Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

 

 “Muita gente me procura agora e não conhece minha história. Eu sempre estudei em escolas públicas e sempre participei de projetos sociais. Toda a minha formação artística foi por projetos ou por bolsas de estudo”, contou a atriz, que festeja a importância de ser protagonista e negra: “Já ouvi muito que protagonista negra era só a Taís Araújo. Ela não pode ser a única referência de pessoa negra deste país, a própria já disse isso em entrevista. Não pode, porque somos muitos. Ser protagonista e ver também a Aline Dias neste papel em ‘Malhação’ é muito bom. Essa representatividade não é uma bobeirinha, é importante mesmo!”.

Diferente de Rose, que foi descobrir na pele o que era racismo somente quando foi presa, Jéssica conta que sempre enfrentou o preconceito, mesmo que de forma velada. “Nunca passei por uma situação tão gritante como a de ‘Justiça’, mas também nunca fui o tipo de pessoa do ‘deixa disso’. Já cheguei em lugares que as pessoas esperavam eu pegar o elevador de serviço, ou sentar num lugar inferior, e nunca deixei quieto. Sou delicada, falo com todo mundo, mas não pisa no meu calo que a coisa aperta”, avisa ela.

A atriz acredita que abordar o racismo na televisão é uma oportunidade de reeducar as pessoas: “É fundamental falar de racismo, eu falo bastante até. Vivemos num país que é racista sim, que é homofóbico, machista, e a se a gente não falar e não reeducar as pessoas, muitas piadas vão continuar existindo. Tenho amigos meus que falam ‘neguim’ fez aquilo, ‘neguim’ fez tal coisa ruim. E eu pergunto pra eles: ‘Por que não branquim?’. Aí eles percebem que estão falando algo que pode ser preconceituoso”.

 Vivemos num país que é racista sim, que é homofóbico, machista, e se a gente não falar, muitas piadas vão continuar existindo. “

Jéssica Ellen sobre a luta contra o preconceito.

E não é só o racismo que Jéssica combate. Ao ser questionada sobre o papel de Luisa Arraes, sua colega de cena em “Justiça”, que sofreu um abuso sexual, a atriz fala que é também uma mulher que tem como missão combater o machismo.

“Eu sou muito feminista, é realmente uma missão. Não deixo homem pagar minha conta não (risos). Eu acho que é muito importante entender que o machismo não oprime só a mulher, ele oprime o homem também. E outra, eu vivo na rua xingando os homens, mandando calar a boca (risos). Eu realmente não levo um ‘fiu fiu’ pra casa, respondo mesmo. Não sou obrigada a ouvir coisas na rua, dez da manhã, em pleno século 21 né?”, explica a atriz de forma bem humorada.

Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO
(Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

‘Ouvia que era muito bonita para ser faxineira e que devia ser modelo’
Antes de estrear na televisão – seu primeiro trabalho na telinha foi em “Malhação” (2012), no papel de Rita – Jéssica já trabalhou em um restaurante de um shopping da Zona Sul do Rio. Ela participou do projeto “Jovem Aprendiz” e, sem saber mexer em computador, ficou sem muitas opções de qual trabalho exercer, se candidatando para uma vaga de assistente de limpeza.

“Me lembro que muitas vezes, quando eu estava limpando o chão, ouvia de clientes que eu era muito bonita para ser faxineira e que eu devia ser modelo. Algumas pessoas se surpreendiam porque eu falava inglês, algo que aprendi com bolsa e em projetos sociais, e era uma ‘faxineira’. Cresci arrumando minha casa, vendo minha mãe como empregada doméstica, até hoje com 52 anos, e eu não tenho frescura”, revela Jéssica, que relembra um dos destaques que teve no trabalho: “Já trabalhei desentupindo privada de restaurante. O banheiro do restaurante entupia e eu ia lá e tentava horas desentupir. Ganhei até um prêmio como funcionária do mês, que se destacou porque não tinha medo de desentupir banheiro”.

E mesmo relatando que a vida na Rocinha nem sempre foi fácil, Jéssica diz que comprar uma casa para a família em outro lugar é algo que vai acontecer com o tempo: “Penso em mudar e acho que é algo natural. Até você conhecer outra realidade você não busca outra coisa. Eu cresci em um lugar que às vezes não tem água, que tem esgoto aberto, e hoje e eu vejo que se eu puder mudar a realidade da minha família eu vou querer mesmo, não adianta dizer que não. Moro com a minha mãe e minha irmã mais velha, e eu tenho o sonho de dar uma casa para elas, uma grande casa, com piscina. Chamar todos os meus tios e primos e curtir uma cerveja e um samba. É simples e não custa sonhar.”

Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)
Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)
Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)
Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Jéssica Ellen em ensaio de moda para o EGO (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

 


Fonte: Ego.globo.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook