Últimas

João Paulo admite dar mais rigor à Lei das Calçadas

Segundo o prefeitur
Segundo o prefeiturvel petista, importante recuperar a autoestima da cidade. Foto: Reproduo/TV Globo

Candidato a prefeito pelo PT no Recife, João Paulo admitiu, nesta quarta-feira, a hipótese de dar mais rigor à Lei das Calçadas, que obriga o proprietário a cuidar das condições de passeio ao redor do seu imóvel. Ele voltou a frisar que o Recife é uma cidade muito pobre, de modo que a prefeitura será responsável por manter os espaços públicos e, no caso, fazer calçadas quando estiver construindo ruas em determinada localidade. Segundo ele, é possível haver necessidade de uma maior fiscalização.

“Acho que temos que aprofundar a crise e aguçar as contradições no sentido da mobilidade. A própria Lei já diz que a prioridade é o pedestre e depois o ciclista e por ai vai. A Legislação diz que a obrigação de cuidar da calçada é do proprietário, mas toda rua que calçamos já demos acessibilidade. Primeiro, vamos começar pelos espaços públicos, (cobrando de alguns) bancos que ganham muito dinheiro e que não dão atenção (às calçadas). Vamos dar uma obrigação maior, com uma penalidade e ter o serviço de fiscalização e atuação para que as pessoas possam se responsabilizar”, disse.

Recuperar a autoestima do recifense também foi um dos compromissos que o candidato  assumiu, ao participar de uma entrevista ao NETV. Indagado se adotaria a proposta de algum adversário na gestão, o petista afirmou que seu programa de governo está completo, porque prevê resgate de antigas políticas públicas e correção de rumos do atual governo.  

“Cem por cento do que estamos fazendo estamos aprimorando. Recife viveu a alma do seu povo, a alegria da participação popular (…) Queremos resgatar essa auto estima. Entendo que está tudo contemplado em nosso programa. Nas coisas que estão sendo mal feitas pelo atual prefeito nós vamos corrigir e dar toda uma orientação, como é a política do turismo que, na verdade, morreu em nossa cidade”, afirmou.

João Paulo também falou sobre o compromisso de construir uma creche por Região Política Administrativa do Recife. Ele frisou, ainda, que pretende recuperar algumas unidades que estão sucateadas. “A primeira coisa que precisamos fazer é recuperar algumas creches, voltar a dar fraldas, garantir o abastecimento de água, além de flexibilizar o horário da creche para  que permita que o trabalhador possa se deslocar e pegar o seu filho. Vamos escolher a área mais estratégica e necessitada e (dar) garantia de uma boa alimentação para as nossas crianças”, declarou.

No tocante ao projeto Novo Recife, que é defendido pelos empresários da construção, João Paulo voltou a reafirmar a necessidade de rediscutí-lo, porque o projeto original, quando o terreno foi leiloado, segundo ele, era outro. “Primeiro, a minha visão é de que sou  contra o projeto. Tínhamos um projeto para ali que era de Parceria Público Privada, com a parceria da Prefeitura do Recife, de Olinda, do governo do estado e o governo federal. Mas, há um questionamento da cidade em relação ao modelo do projeto e nós queremos discutir o novo modelo de cidade, do espaço cultural e de lazer. Entendemos que aquele espaço não pode ficar do jeito que está, sem utilidade, e queremos discutir com todos os setores. Que ele possa ter uma integração do Recife e Olinda”.

João Paulo falou sobre políticas públicas que contemplem os direitos humanos, como a criação de um comitê da saúde LGBT.  “A população LGBT é um público muito discriminada, que sofre muita violência. Queremos trabalhar isso de forma transversal (nas principais secretarias) e desenvolver políticas de combate à homofobia e uma política de orientação a questões de saúde e à preparação dos próprios servidores para atender a esse público”, pontuou, entre os trechos citados.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook