Últimas

João Paulo e economista que tentou agredi-lo prestam depoimento na Delegacia de Boa Viagem

[VÍDEO]

 

O desgaste nacional do PT e os reflexos da intolerância política no Brasil respigaram, nesta quinta-feira (08), na campanha do candidato à Prefeitura do Recife pelo partido, João Paulo. Em imagens que viralizaram na internet, João Paulo por pouco não é agredido fisicamente pelo economista Bruno de Carli, de 66 anos. O caso foi parar na Delegacia de Boa Viagem, sendo recebido pelo delegado Joel Venâncio. Nos vídeos registrados de vários ângulos pelos internautas, o economista chama João Paulo de “ladrão” num  restaurante do Shopping Rio Mar, onde ele pretendia almoçar com integrantes do seu núcleo de confiança. O economista se desloca de uma certa distância até o petista com a intenção de lhe dar uma “bofetada”.

O economista termina atingido o ex-secretário de Governo Múcio Magalhães, que se coloca na frente de João Paulo. Ele ainda tenta tirar, na tapa, o celular das mãos da ex-secretária de Comunicação Lygia Falcão, que recua para não ser agredida fisicamente. Ela tenta avisar João Paulo sobre a chegada de Bruno de Carli, que vem se dirigindo rápido e gritando palavras agressivas contra o PT. João Paulo foi contido e levado para dentro do restaurante.

João Paulo e equipe se dirigiram à Delegacia de Boa Viagem para prestar queixas, mas o economista fez o mesmo. “Eu respondo a três perguntas inteligentemente dirigidas a mim. Quem vai fazer as perguntas?”, indagou o economista aos jornalistas presentes no local, para depois completar. “Eu fui agredido, fui vítima. Este episódio está sendo usado por ele para jogar na propaganda política”, declarou Bruno de Carli, acusando o prefeiturável de estar com a sua “camarilha” e sua “quadrilha”. “Vou representá-lo no Tribunal de Justiça Eleitoral. Eu tenho um arquivo dele e tenho vários processos contra ele, denúncias que não foram apuradas. Eu sei quem é João Paulo”, disse, de forma muito pausada.

O petista ressaltou nunca ter sofrido uma agressão deste tipo e descartou a hipótese de ter provocado o economista de alguma forma antes das cenas de violência. Bruno de Carli, por sua vez, também compareceu à delegacia. Ele disse, em entrevista coletiva, que tinha sido “vítima” e afirmou ter um dossiê contra João Paulo, que estava no shopping “com a camarilha dele, com a quadrilha dele”. “Eu fui agredido, fui vítima. Este episódio está sendo usado por ele para jogar na propaganda política”, declarou, depois de arrumar a camisa e atacar até o último botão.   

O delegado contou aos repórteres que, ao prestar depoimento, o economista afirmou odiar o PT e admitiu ter iniciado a agressão. “Eu mostrei as imagens ao senhor Bruno e ele confessou, na minha frente, que tinha agredido João Paulo”, declarou o delegado, que lavrou um Termo Circunstancial de Ocorrência, apontando o economista como autor dos crimes de injúria e ameaça. O delegado afirmou que também espera por mais imagens do restaurante e o caso será remetido ao Juizado Especial Criminal. Caso não exista conciliação entre as partes, o economista pode responder a crimes que correspondem a um ano de prisão – que se resume em pena alternativa.

 

Jo
Joo Paulo chegou bem atrasado ao compromisso da tarde, na Ciranda da Pessoa Idosa, aps ter sofrido tentativa de agresso. Crdito: Trsio Alves

Pessoa Idosa
João Paulo manteve os outros três compromissos do dia. Por volta das 15h30, ele participou da Ciranda da Pessoa Idosa, onde pediu desculpas pelo atraso e falou para o público sobre a agressão, embora esse não tenha feito do assunto tema principal. “Em 46 anos de militância, ninguém nunca viu um gesto de agressão meu, porque eu respeito cada pessoa. Nós não podemos aceitar essa intolerância”, disse ele, para depois se deslocar para mais dois compromissos. Nesta quinta-feira à noite, o petista participou da inauguração de um comitê de vereador e da inauguração do Comitê Sindical, recebendo, neste último, um documento com propostas das mãos do presidente estadual da CUT, Carlos Veras.

 

Já os seus adversários na campanha, Geraldo Julio (PSB) e Daniel Coelho (PSDB), lamentaram a violência. “Sou contra qualquer tipo de violência e presto aqui  minha solidariedade ao candidato João Paulo”, afirmou o socialista pelo Facebook. “Somos contra a violência. Campanha política se disputa nas ideias”, disse Daniel no Twitter.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook