Últimas

Ministros pernambucanos almoçam juntos no Recife

Os quatro ministros pernambucanos, também conhecidos como G-4, Bruno Araújo (Cidades), Fernando Bezerra Coelho Filho (Minas e Energia), Mendonça Filho (Educação) e Raul Jungmann (Defesa), almoçaram juntos, nesta segunda-feira (26), no Restaurante Leite, no Centro do Recife, para trocar experiências e discutir a pauta política nacional. Aos jornalistas, após o encontro, falaram de polêmicas nos ministérios e anunciaram medidas que beneficiam o estado, como o caso da inclusão de Pernambuco no segundo Pacote de Concessões do governo Michel Temer (PMDB), que será divulgado em novembro. O ministro Bruno Araújo (PSBD), revelou que, o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, disse que estudos devem inserir a BR-101 Sul, o anel rodoviário de Suape e a BR-232 no pacote.

“O ministro Quintela me disse que se isso acontecer, se isso se confirmar, há grandes chances dessa concessão estar incluída na segunda rodada. E pelo que eu entendi, no início, agora, dia 17 (de novembro)”, disse Bruno, ressaltando que para ser confirmada a concessão é preciso comprovar a viabilidade econômica da mesma. “O ato de conceder algo, de uma concessão, não é ato de vontade de um governante. Vou abrir uma concessão. Você tem que ter estudo, viabilidade econômica, encontrar no mercado quem tenha interesse. E do ponto de vista de viabilidade aponta para algo positivo”, revelou. Recentemente, o governo Temer foi criticado por lideranças do PSB por não incluir o estado no primeiro pacote.

Apesar do tom da conversa, os quatros ministros também estão de olho nas eleições. O encontro deles alimenta a tese do ressurgimento da União Por Pernambuco na disputa de 2018.DEM, PSDB e PPS estiveram no grupo. Todos negaram a articulação. No caso do ministro Fernando Bezerra Coelho Filho (PSB), especula-se que o pai, o senador Fernando Bezerra Coelho, do mesmo partido, pode procurar outra legenda para se lançar governador de Pernambuco. “Não existe essa questão em debate. Estamos no PSB, no PSB e no PSB”, defendeu o ministro. O ministro Raul Jungmann (PPS), que participou de nenhum ato da campanha do prefeito do Recife e candidato à reeleição, Geraldo Julio (PSB), justificou sua ausência da campanha socialista.

“Eu me coloquei à disposição, participei de apenas um encontro com o prefeito. Recebi um convite de Vicente André Gomes (presidente da Câmara do Recife e candidato do PSB) e Geraldo estava. Eu tive uma Olimpíada e uma Paralímpiada, é uma questão de agenda”, disse o pós-comunista. Já Mendonça Filho (DEM) defendeu a MP 746, que altera a estrutura do Ensino Médio no Brasil. “A medida que as pessoas tomam conhecimento sobre os princípios, da lógica do processo de mudança introduzido pela MP, elas aderem a tese, salvo aquelas pessoas sectárias e que às vezes mudam de posição de acordo com a posição política de hoje”.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook