Últimas

'Poder Judiciário tem de ser um só', diz futura presidente do STF

Ministra C
Ministra Crmen Lcia Rocha em sesso plenria do Supremo Tribunal Federal (STF). Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agncia Brasil

Às vésperas de assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia disse nesta terça-feira que o Poder Judiciário tem de ser um “só” e prometeu honrar o cargo de presidente da Corte. Cármen assumirá a presidência do STF na próxima segunda-feira, sucedendo ao ministro Ricardo Lewandowski, que conduziu o processo de impeachment de Dilma Rousseff no Senado Federal.

“O STF é um só, o Poder Judiciário tem de ser um só, hoje tem sido vários, e acho que juntos somos muito mais”, disse a ministra, ao participar da sessão ordinária da Segunda Turma do STF.

A solenidade de posse da ministra Cármen Lúcia está marcada para a tarde da próxima segunda-feira, 12, às 15h, com a presença do cantor Caetano Veloso. Cármen será substituída pelo próprio Lewandowski na Segunda Turma, que terá agora apenas homens na sua composição.

“Vou sentir muita falta (da Segunda Turma). (Dirigindo-se aos colegas) Não terão uma mulher pra perturbar o Clube do Bolinha, mas eu vou voltar de vez em quando. Vou fazer o que for possível para que possa honrar o cargo de presidente, e contarei com a ajuda de todos”, comentou Cármen.

“Eu tenho sido muito feliz, eu adoro as tardes de 3ª feira (quando há as sessões ordinárias da Segunda Turma), eu não tenho a mesma digamos tranquilidade para algumas funções de ministro no STF. Não gosto muito de festas, de nada disso. Eu gosto é de processo”, prosseguiu a ministra.

Obscurantismo
Para o ministro Gilmar Mendes, a ministra assume o Supremo Tribunal Federal num momento em que o País passa por “perplexidade” e “um certo obscurantismo”.

“Nesses momentos obscuros que passamos e estamos vivendo, talvez seja importante propiciar que chegue à Presidência do STF uma figura tão diferenciada, comprometida com a vida pública como a ministra Cármen Lúcia”, disse Gilmar Mendes, ao final da sessão.

“Teremos o espírito liberto por saber que Vossa Excelência estará exercendo funções importantes para o direcionamento do País em momento de tanta tergiversação, de perplexidade e de um certo obscurantismo”, completou Gilmar Mendes.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook