Últimas

Priscila Krause: efeito da agenda de Lula na campanha do Recife ainda é imprevisível

A candidata DEM à Prefeitura do Recife, Priscila Krause (DEM), avaliou que é imprevisível o efeito da agenda do ex-presidente Lula (PT), nesta quinta-feira (22), em um ato de campanha do candidato e ex-prefeito João Paulo (PT), no Parque 13 de Maio, no Centro da Cidade. A democrata, que na última quarta-feira (21) alertou à militância para combater o que chamou de voto útil, eleitores que, a partir da rejeição ao PT, votariam no atual prefeito e candidato à reeleição Geraldo Julio (PSB) para evitar a vitória petista -, avaliou, no entanto, que a visita de Lula pode surtir efeito positivo e que esse cenário só será avaliado a partir da divulgação de pesquisas de intenção de votos.

“Pode acelerar ou dar o efeito contrário (ao que chama de fenômeno do voto útil). Nós vamos sentir o efeito dessa visita alguns dias depois. Ela vai depender da relação a João Paulo, do que vai acontecer a partir daí na intenção de voto a partir dessa visita”, comentou Priscila, que na tarde desta quinta-feira (22) participou de caminhadas na comunidade do Miramar, em Fundão, e parte do bairro de Cajueiro, na Zona Norte do Recife. “Achei uma estratégia de vitimização. Tem um áudio de Jorge Viana falando dessa estratégia de andar, de chamar o juiz Sérgio Moro para a briga, de se vitimizar, enfim, essa é uma estratégia do PT. Vai caber a população fazer esse julgamento”.

A candidata ainda elogiou os trabalhos do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal (PF), que, na avaliação dela, estariam fazendo um trabalho equilibrado. Recentemente, o MPF indiciou o ex-presidente Lula e sua mulher, Marisa Letícia, na Operação Lava-Jato. O petista é apresentado como líder da rede de corrupção do esquema. O indiciamento foi aceito pelo juiz Sérgio Moro, de Curitiba, onde as investigações estão sendo realizadas. “As questões estão colocadas pela Polícia Federal, que está tratando desses assuntos de maneira muito profissional. Ao contrário do que vinham dizendo, eles continuam as investigações de maneira extremamente equilibrada, mas estão entrando, indo, chegando”.

Demandas da população

Na comunidade do Miramar, a candidata do DEM foi abordada por populares que fizeram queixas em relação ao saneamento, calçamento e iluminação pública. Ao Diario, alguns moradores relataram que alguns espaços na comunidade estão sendo dominados pelo consumo e tráfico de drogas. “Precisamos resolver aqui a parte da urbanização, o calçamento de rua e a sustentação de muros de arrimo. Conversando com as pessoas, eles disseram que resolveram uma parte do calçamento, mas tem outra ainda para fazer”, disse Priscila.

A consultora de vendas aposentada Eunice Tibúcio, de 61 anos, pagou, recentemente, R$ 150 para pagar o calçamento da rua onde mora há 40 anos. Segundo ela, um candidato a vereador pagou o aterro e os moradores ficaram encarregados de dividir os custos do cimento e da mão-de-obra. “Moro na Rua Conde de Bagnolo há 40 anos. Já fizemos de tudo aqui para calçar e esse foi o único jeito. Nossa rua já consta como calçada três vezes na prefeitura. Hoje em dia os políticos, depois do calçamento, já passam por aqui”, criticou.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook