Últimas

¿Qué pasa? Após início espetacular, Ábila desaparece quando o Cruzeiro mais precisa dele

Atacante argentino parecia imparável nos primeiros jogos pela Raposa, mas perdeu gols feitos nas últimas partidas e prejudicou a equipe

Ramón Ábila parecia ser imparável. Espetacular no mês de agosto e início de setembro, o Wanchope chegou a marcar em sete partidas seguidas e comandou, na época, uma grande recuperação do Cruzeiro, que deixou a zona de rebaixamento e conseguiu se distanciar um pouco do Z4 do Campeonato Brasileiro. Ao lado de Arrascaeta e Mano Menezes, ele era o grande herói celeste e muitos pediam sua convocação para a seleção argentina, já que Lucas Pratto, do rival Atlético-MG, não vivia uma fase tão exuberante e tinha sido chamado por Edgardo Bauza.



GOALLEIA MAIS: GOAL
A classificação do returno do Brasileirão | Exclusivo: histórias de Ronaldo no Cruzeiro | Flamengo bate a Raposa


Nos últimos 20 dias, porém, tudo mudou. Pratto foi fundamental para o Galo avançar às quartas de final da Copa do Brasil e, mesmo saindo do banco de reservas, foi importante na vitória sobre o Internacional neste domingo, pelo Brasileirão. O Urso marcou nos dois jogos. Ele apareceu quando a equipe alvinegra precisou dele.

Ábila não.

Neste domingo (25), o Wanchope chegou a quatro jogos sem marcar, depois da derrota de virada para o Flamengo, por 2 a 1. E para piorar, Ábila, mais uma vez, perdeu gols feitos que fizeram falta para o Cruzeiro.

Já tinha sido assim no clássico contra o Atlético-MG, quando ele perdeu duas grandes oportunidades. Na última semana, ele perdeu uma boa chance na vitória sobre o Botafogo, pela Copa do Brasil. Antes, também passou em branco na derrota para o Glorioso, pelo Brasileirão, e não jogou contra o São Paulo, por estar suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Neste domingo, o jejum foi ampliado e prejudicou o Cruzeiro, que após iniciar uma ótima recuperação, chegou ao seu quarto jogo sem vitória no Brasileirão, sendo três derrotas no período, e voltou para a zona de rebaixamento. E Ábila foi um dos responsáveis pela derrota.

(Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro)

A Raposa não fez um grande jogo, mas jogou com inteligência no segundo tempo. Conseguiu esfriar o Flamengo, teve uma posse de bola inteligente e se fechou bem na defesa. Além disso, Mano Menezes fez boas substituições, e uma de suas mudanças surtiu ótimo efeito, com Rafinha, que saiu do banco de reservas, abrindo o placar com um bonito gol.

O Mengão, no entanto, conseguiu o empate em lance que contou com o talento de Guerrero e uma mistura de falha e azar de Bruno Rodrigo, que deu espaço para o peruano dominar e girar para finalizar, mas também viu a bola desviar nele e enganar Rafael. Pouco depois, porém, Ábila teria duas chances de voltar a colocar o Cruzeiro em vantagem e, quem sabe, dar a vitória ao time.

Confira os números de Ábila contra o Flamengo:

O Wanchope, no entanto, perdeu dois gols incríveis. No primeiro, viu seu chute ruim dentro da área parar em Muralha, e no segundo, dentro da pequena área, desperdiçou a excelente jogada de Rafinha chutando a pelota para fora de forma bizarra. Logo na sequência, Mancuello finalizou com maestria uma aula de contra-ataque do Rubro-negro, decretando a virada e vitória carioca.

Os gols fizeram muita falta para o Cruzeiro, que voltou para a zona de rebaixamento. Ábila, que parecia imparável, vinha aparecendo sempre que necessário e era um dos heróis celestes, sumiu quando o time precisou dele nos últimos jogos e perdeu gols incríveis, que fizeram falta e prejudicaram a Raposa. O Wanchope não marca desde o dia 8 de setembro, na vitória por 2 a 0 sobre o América-MG. ¿Qué pasa?


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook