Últimas

Quem ganhou com a queda de Cunha “foi a esquerda”, diz Feliciano

15/09/2016 – 15:00

Pastor explica por que votou contra a cassação do ex-presidente da Câmara



Quem ganhou com a queda de Cunha “foi a esquerda”, diz Feliciano Quem ganhou com a queda de Cunha “foi a esquerda”, diz Feliciano

O deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP) vem sendo criticado por ter sido um dos 10 parlamentares que votaram contra a cassação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB/RJ). A denúncia de quebra de decoro – por ter mentido sobre possuir contas no exterior – resultou não só na perda do mandato, mas também em sua inelegibilidade até 2027. O placar final foi 450 votos a favor, enquanto 9 preferiram se abster.

Na manhã desta quinta-feira (15), Marco Feliciano justificou sua decisão em um vídeo de 7 minutos postado nas redes sociais. Intitulado “Quem ganhou com a cassação de Eduardo Cunha”, o material mescla manchetes de jornal, discursos de deputados e as explicações do pastor.

“Desde que eu iniciei na vida política eu tenho posições firmes”, enfatiza Feliciano logo no início. Procurando rebater o argumento de que apoia um corrupto, lembrou que a cassação se deveu a ele “supostamente ter mentido em uma CPI”. Para o líder do PSC na Câmara, não estão provadas as acusações de corrupção contra Cunha, mas que, somente após ser julgado pelo STF ele deveria ser responsabilizado.

“Depois que Eduardo Cunha instaurou o processo de impeachment que deflagrou o afastamento da presidente Dilma Rousseff…. todos os partidos de esquerda se uniram contra ele. Todos nós, políticos, sabemos que a cassação… foi puramente vingança política”, esmiuçou Feliciano no vídeo.

Mencionando especificamente PT, PCdoB, PSOL e REDE, o pastor tentou mostrar como o processo contra Cunha faz parte de uma articulação antiga. Citando o “Caderno de Teses do PT- 2015”, mostrou como o perfil conservador do Parlamento atual impediu o avanço de causas de viés esquerdista, que incluem a legalização do aborto e das drogas, além da imposição da ideologia de gênero, e o debate da redução da maioridade penal.

“Eu sou um deputado de direita”, assegurou Feliciano. Para ele, “Cunha era uma pedra de tropeço no caminho da esquerda”. Listando 8 “feitos” do período em que o peemedebista presidiu a Câmara dos Deputados, mostrou que o Brasil só viu o fim do governo petista por causa da sua atuação. O pastor Marco finalizou dizendo que não cometeu o “pecado” de entregar uma vitória na mão da esquerda.

A recepção do vídeo foi mista. Abaixo da postagem, um comentarista escreveu: “Ótima explicação! Realmente não temos direita no Brasil… Não se enganem, o Marco Feliciano foi coerente, como ele disse não estou julgando se ele é corrupto ou não, pois quem deveria fazer isso é o STF”. Enquanto isso, outro se manifestou, dizendo: “Todo corrupto deve ser deposto da política e isso independe totalmente de qualquer pauta que ele defenda. Seja ele de esquerda ou direita, apoie ou não as causas morais pelas quais lutamos”.


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook