Últimas

Raí aprova Tite, elogia postura de Neymar e revela preferencia por Coutinho

O tetracampeão do mundo também falou sobre a faixa de capitão e o maior desafio do novo comandante da Canarinho

Raí é sem dúvida um dos grandes jogadores da história do futebol brasileiro. O camisa 10 e capitão na primeira fase da Copa do Mundo de 1994 na conquista do tetracampeonato mundial também brilhou com a camisa do São Paulo se tornando um dos maiores ídolos do clube.

 

Respeitado dentro e fora de campo o ex-meia sempre foi uma referência de seriedade, liderança e profissionalismo. Foi assim todas as vezes em que defendeu a camisa da Seleção Brasileira. Ao todo foram 51 jogos, dezesseis gols e um título mundial com a Canarinho. Fatores que o credenciam a falar com propriedade sobre a pentacampeã do mundo.

 


(Foto: Getty Images)

 

Em entrevista exclusiva à Chevrolet Brasil Global Tour, o ex-jogador se mostrou otimista quanto ao trabalho de Tite e a nova era da Seleção. Ele também lembrou a importância de um bom ambiente para que tudo se encaminhe de forma positiva.

 

‘Vejo esse momento com bastante otimismo, ele é um cara experiente que já estava num momento maduro da carreira e isso ajudou muito com a comissão técnica para acalmar os ânimos. A Seleção tem muito de ambiente e a situação estava incerta desde a Copa do Mundo e as trocas de treinador nos últimos anos. Veio uma pessoa que é quase uma unanimidade com bastante experiência e a opinião pública é importante também, ele tem boa aceitação da imprensa e isso facilita, dá tranquilidade para os jogadores também. Eu acho que esse clima que se formou em torno dessa nova comissão ajudou esses jogadores a se sentirem mais seguros e jogarem de uma maneira mais solta, apesar da pressão e da necessidade de ganhar.”

 


(Foto: Getty Images)

 

Capitão por quase quatro anos na Seleção Brasileira, Raí sabe bem a importância das lideranças e principalmente o fato do jogador se sentir a vontade sendo o líder do grupo. Ele vê em Miranda as características necessárias para ocupar o posto de capitão. 

 

“O começo de um trabalho justifica um rodízio a nao ser que ele se sinta seguro nos primeiros encontros. O Miranda é uma pessoa experiente e está numa posição interessante. Eu vejo o Miranda bem nesse papel de capitão da seleção Brasileira.”

 


(Foto: Pedro Martins / Mowa Press)

 

Raí também fez questão de elogiar a coragem de Neymar em abdicar do posto de capitão e ressaltou que ele pode se tornar um líder melhor mesmo sem a faixa.

 

‘Um ponto que foi pouco falado foi a coragem do Neymar em assumir que não queria ser mais capitão, porque ele tem uma liderança técnica e é um dos melhores do mundo a coisa mais óbvia é a dar a faixa para ele. Ele já foi capitão e campeão olímpico como capitão e falar que não quer mais” mostra uma maturidade, a pessoa tem que se sentir bem como capitão. Eu fui capitão por quase quatro anos na Seleção e isso não é só uma honra é uma representatividade, tem que se sentir a vontade para fazer o mais importante que é render dentro de campo. E ele se sentindo mais a vontade acho que pode até ser melhor líder sem ser capitão do que sendo capitão.”

 

(Foto: Getty Images)

 

O ex-camisa 10 viu como natural as duras críticas e cobranças feitas em cima de Neymar na primeira fase dos Jogos Olímpicos e afirmou que o grande desafio de Tite é encontrar outros protagonistas para a Seleção.

 

“Neymar tem um futuro brilhante, passou por uma fase complicada porque obviamente com a fase ruim da Seleção a pressão maior vai em cima da pessoa que chama mais atenção, que tem mais responsabilidades. Eu passei por isso nas Eliminatórias em 1993, o Brasil não estava indo bem e a pressão vinha em cima de mim. Mas sinto o Neymar bem, tem outros jovens chegando como Gabriel Jesus e o Gabigol, tem o Coutinho. Jogadores com potencial para assumir um papel mais protagonista e isso vai ser melhor para a Seleção, vai ser melhor para o Neymar também. O grande desafio do Tite é construir um time que não dependa apenas do Neymar.”

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press)

 

Depois dos duelos contra Equador e Colômbia, a discussão entre Phillipe Coutinho e William no meio-campo da Seleção Brasileira passou a ser um “problema” para o técnico Tite. Mas Raí enxerga em Coutinho características melhores para assumir a posição de titular.

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press)

 

“São duas boas opções, além de ser uma disputa difícil de escolher são opções táticas diferentes. Coutinho até gosta de jogar pela esquerda mas ele solto no meio se sente mais a vontade do que o Willian. Wilian gosta de começar mais aberto. Acho o Coutinho mais completo para a função mas gosto muito do Willian, como opção tática ter um jogador aberto, que tem habilidade, que marca bastante. Mas no geral, o Coutinho é um jogador mais completo, ele aprendeu a marcar, tem habilidade, maturidade, faz gols. A briga vai ser boa.”

 

(Foto: Pedro Martins / MoWa Press)

 

Questionado sobre a imprensa internacional está comparando Gabriel Jesus ao Ronaldo no início da carreira, Raí foi direito.

 

“Eu já vi essas comparações mas não consigo enxergar isso. Mesmo o Ronaldo fisicamente sendo magrinho no começo, ele era mais alto. Acho as características que o Ronaldo tinha de partir para cima nas jogadas individuais, as pedalas dele, a potência do arranque, enfim, o Jesus é veloz mas o Ronaldo tinha mais arranque e depois ganhou uma força muscular que o biotipo do Jesus não vai dar condição dele ganhar essa massa toda que o Ronaldo ganhou e chegou ao estágio em que chegou na Europa. Acho que serão características diferentes mas o Jesus tem potencial para crescer muito mais para frente.”

 

(Foto: Getty Images)

 

Nesta sexta-feira(16), o técnico Tite divulgará a lista de jogadores que disputarão os jogos contra Bolívia e Venezuela pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. A grande expectativa fica por conta do nome que substituirá Paulinho, suspenso, e do possível retorno do zagueiro Thiago Silva.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook