Últimas

Robinho troll, Donizete pereba e carona do capita: zoeira completa na exclusiva com Pratto

Confira os bastidores do bate-papo cheio de galhofa e muito alto astral com o atacante do Atlético-MG

Dizem por aí que a zoeira não tem limites nem pode parar. Se você duvida, basta ver como é o vestiário de um time de futebol, principalmente se a equipe estiver em boa fase e lutando por títulos. A galhofa e o alto astral tomam conta de todo o ambiente, e mais do que companheiros de clube e trabalho, os jogadores se tornam amigos, às vezes até irmãos, formando uma família.



GOALLEIA MAIS: GOAL
Exclusivo: Pratto planeja deixar o Galo | Exclusivo: Pratto se abre sobre Fred e posição favorita | Exclusivo: Pratto e seu amor


Essa é a impressão que o Atlético-MG passa. O clima na Cidade do Galo é sempre diferente e alegre, a impressão é de que você está em casa e confortável, é um ótimo ambiente para trabalhar. O Alvinegro, realmente, parece uma família.

Não à toa, Lucas Pratto, em entrevista exclusiva à Goal Brasil, disse “família” quando pedi que ele resumisse o Atlético-MG em uma só palavra. E durante o bate-papo, o clima leve e a zoeira provaram sua presença no Galo.

(Fotos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

No vídeo acima, Robinho interrompe a entrevista para brincar com Pratto. “Ele brinca comigo, fala que eu sou horroroso, mas pra mim é um prazer jogar com esse argentino maricón”, disse o camisa 7. O Urso, é claro, não deixou barato: “eu disse pra ele que é mais fácil jogar com o Messi do que com você”, sacaneou, antes do Rei das Pedaladas admitir que “isso é lógico”.

As brincadeiras no elenco alvinegro são constantes, e Pratto, que foi muito trollado após ser convocado para a seleção argentina, falou sobre a convivência com os amigos, principalmente Robinho, Leandro Donizete e Juan Cazares. “É muito boa (a convivência). Os dois são diferenciados, fora de série, não tem nada que eu possa falar de diferente. Eu agradeço a Deus por jogar com eles, porque é muito fácil jogar com os dois, e eles deixam a gente na cara do gol. No dia a dia, os dois são muito alegres, principalmente o Robinho, que é brasileiro. O Cazares também é, mas por ele ser estrangeiro, ele brinca mais comigo, com o Erazo e a turma que fala espanhol”, contou.

“O Robinho brincou comigo, disse que eu toco a bola mais pro Messi do que pra ele agora (risos). A nossa relação é muito boa, e eu brinco com ele que ele não toca a bola pra ninguém, porque ele quer ser artilheiro e não dá mais assistências. O Donizete fala que todo mundo é ruim, e a gente fala pra ele que todo mundo já foi convocado, menos ele (risos)”, revelou.

A vida de um Urso em BH

Pratto também falou sobre a vida fora dos gramados. Vivendo bem em Belo Horizonte, o camisa 9 só reclama de uma coisa: o ridículo calendário do futebol brasileiro. “Gosto muito da cidade, mas não dá para ficar muito em casa. O ruim do futebol brasileiro é que não dá aproveitar muito a vida, porque são muitos jogos, principalmente quando você joga a Libertadores. O começo do ano, que já tem Libertadores e Estadual logo de cara, é difícil. Depois já começa o Brasileirão com a Libertadores e a Copa do Brasil, então tem momentos da temporada que você quase não está em casa e é muito difícil. É algo para se repensar. Mas quando tenho tempo, gosto de ir num restaurante comer, ficar tranquilo, é o que eu mais gosto”, contou, antes de ser interrompido por Luan.

O Menino Maluquinho, um dos melhores amigos de Pratto no Atlético-MG, não perdeu a oportunidade de sacanear o parceiro, que tem o rock como estilo musical preferido e pode ser o “Petr Cech do futebol brasileiro”. Afinal, assim como o goleiro do Arsenal, o camisa 9 alvinegro toca bateria. O Urso, porém, ainda está aprendendo, mas em breve podemos ver suas habilidades nas redes sociais.

“Estou começando a fazer aulas de bateria, mas só fiz duas aulas, então não sei muito bem ainda. Eu gosto muito do Indio Solari, um cantor que foi o líder dos Redonditos de Ricota, o grupo mais importante do rock argentino. Hoje ele é solista. Gosto muito de tudo, mas gosto de um rock um pouco mais pesado”, contou.

O papo estava muito bom e poderia ter durado mais um tempo. Isso se Leonardo Silva, zagueiro e capitão do Atlético-MG, não tivesse apressado a entrevista. É que o ídolo atleticano tinha almoçado com Pratto e estava esperando o atacante para ir embora de carona.

Confira, neste sábado (1º de outubro), a última parte da entrevista exclusiva com Lucas Pratto


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook