Últimas

Saúde e mobilidade são desafios do próximo prefeito de São Paulo; veja propostas

O acesso à saúde e melhorar a mobilidade urbana serão alguns dos desafios do próximo prefeito de São Paulo. A Agência Brasil buscou quais são as propostas dos candidatos para esses temas:

Altino
O candidato do PSTU, Altino Melo, defende acabar com qualquer forma de gestão privada da saúde, como as organizações sociais. Para ele, a saúde deve ser gerida exclusivamente pelo setor público e ter garantia de qualidade.

Em relação aos transportes, Altino acredita que a estatização total do sistema é a única forma de oferecer um serviço de qualidade com preço justo, chegando até a tarifa zero. Para ele, os preços das tarifas são elevados devido à necessidade de lucro das concessionárias que administram a rede de ônibus na capital paulista. Altino defende ainda que a prefeitura ajude a investir no sistema de metrô, gerido pelo governo estadual, e que se posicione pela reestatização das linhas do metropolitano já privatizadas.

Erundina
Luiza Erundina, do PSOL, quer acabar com os contratos com organizações sociais e outras entidades privadas na gestão de equipamentos de saúde. Pretende ainda estruturar a carreira dos funcionários públicos municipais que trabalham em hospitais, unidades básicas de saúde e na administração do sistema, com a descentralização da gestão da rede municipal e com ampliação da participação popular.

As licitações do transporte coletivo serão revisadas em uma eventual nova gestão de Luiza Erundina, que já foi prefeita da capital paulista e é deputada federal. Nessa linha, de diminuição dos custos para os usuários, a candidata quer ampliar a implantação da tarifa social. Para desafogar o trânsito, ela quer priorizar o fluxo nos corredores de ônibus. A atual política de redução da velocidade nas vias deve ser mantida.

Fernando Haddad

Estabelecer o controle social e a gestão participativa são algumas das propostas do atual prefeito, Fernando Haddad (PT), para a saúde municipal. Ainda sobre a gestão, ele tem a intenção de gradualmente reduzir a terceirização e a presença das organizações sociais na saúde municipal, com o objetivo de consolidar uma rede 100% pública. Caso seja reeleito, Haddad também quer ampliar o programa de atendimento a usuários de drogas, chamado De Braços Abertos.

Os deslocamentos a pé serão priorizados em um eventual segundo mandato de Haddad. O programa de governo do candidato prevê melhorar as calçadas, além de expandir a rede cicloviária da cidade. Em relação ao transporte público, as propostas são expandir as faixas exclusivas para ônibus, reduzir o tempo médio das viagens e aumentar a participação do transporte coletivo no deslocamento urbano.

Henrique Áreas

O candidato do PCO, Henrique Áreas, defende que todo o sistema de saúde seja gerido pelo governo federal. Também quer acabar com qualquer relação entre o setor privado e a rede pública de saúde.

Em relação à mobilidade urbana, Henrique Áreas propõe a estatização das grandes empresas de transporte e liberdade de operação para vans e perueiros.

João Bico

O foco na prevenção é o principal eixo das propostas do candidato do PSDC, João Bico, para a saúde. Ele propõe ainda a elaboração de um plano municipal para assegurar o acesso de toda a população à saúde e formas de atendimento às famílias.

Para melhorar a mobilidade na capital paulista, João Bico defende ampliar as parcerias com a iniciativa privada, investindo na infraestrutura viária. Também pretende rever o sistema de controle de tráfego, focando no apoio no cidadão e reduzindo a aplicação de sanções aos motoristas.

João Dória

Como forma de reduzir a fila de espera por exames, o candidato do PSDB, João Dória, pretende pagar para hospitais particulares para que os procedimentos sejam realizados das 20h às 8h. O chamado Corujão seria, segundo o candidato, uma medida emergencial para agilizar o atendimento à população. Além disso, ele pretende ampliar o uso da telemedicina, promovendo diagnósticos e orientações médicas à distância. O candidato propõe ainda a previsão de reformas nas unidades básicas de saúde e o preenchimento de vagas no programa Saúde da Família.

Em relação ao transporte público, João Dória propõe ajustar os corredores de ônibus para os parâmetros do BRT (Bus Rapid Transit), o que possibilitaria, segundo o candidato, o aumento da velocidade nas pistas exclusivas. Também pretende valorizar o deslocamento a pé, fazendo intervenções urbanas que facilitem a caminhada integrada com outros sistemas. Nas marginais Tietê e Pinheiros, tem a intenção de reverter as reduções de velocidade implantadas pela atual gestão.

Levy Fidelix
A criação de um cadastro único de todos os residentes na cidade e a criação de um plano de saúde municipal são as principais propostas do candidato do PRTB, Levy Fidelix, para a saúde. Com o plano, a intenção é facilitar o acesso à rede pública e à particular conveniada. O candidato quer ainda garantir que cada bairro tenha ao menos uma unidade básica de saúde.

Para melhorar o trânsito dentro da capital paulista, Levy Fidelix quer deslocar para regiões periféricas da cidade o Aeroporto de Congonhas, a Rodoviária do Tietê e a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). Em relação ao transporte público, ele pretende construir novas linhas de monotrilho, chamados por Fidelix de aerotrem. Outra proposta é aumentar o número de táxis na cidade.

Major Olímpio
Em uma eventual gestão de Major Olímpio à frente da prefeitura paulistana, as subprefeituras passariam a ser as responsáveis pela saúde em suas regiões. O candidato também propõe mais investimentos, ampliando o número de leitos, a distribuição de medicamentos e aumentando o número de laboratórios para exames. Além de construir mais hospitais e ampliar os atuais programas voltados à usuários de drogas, com parcerias com os governos estadual e federal.

Igualar as condições de trabalho entre táxis e os motoristas do Uber é uma das propostas do candidato para a mobilidade na capital paulista. Ele pretende ainda promover uma renovação da frota da ônibus, com a exigência de ar- condicionado em todos os veículos. O candidato quer ainda rever as ciclovias já implementadas, porém expandir as vias para bicicletas nos locais onde o transporte for considerado seguro.

Marta Suplicy
A candidata pelo PMDB, Marta Suplicy, pretende informatizar o sistema de saúde do município, estabelecendo o controle na distribuição de medicamentos, prontuário eletrônico e facilitar a gestão de leitos e agendamento de consultas. Ela também propõe implementar um terceiro turno de atendimento nas unidades públicas de saúde, além do funcionamento aos fins de semana. Para os usuários de drogas, pretende estabelecer um programa de reinserção social.

As calçadas têm destaque nos planos de Marta para a mobilidade urbana. A candidata quer estabelecer um programa emergencial para padronizar os passeios públicos quanto à segurança, iluminação e acessibilidade, intensificando a manutenção. Para o transporte público, algumas das ideias são transformar pontos de ônibus com movimento intenso em pequenas estações de transferência e investir em novos corredores de ônibus em grandes avenidas.

Ricardo Young
O candidato da Rede, Ricardo Young, pretende aumentar as atribuições das atuais subprefeituras, que cuidam dos distritos municipais, transformando-as em co-prefeituras. Serão essas unidades que farão a gestão dos serviços de saúde, com participação popular via conselhos distritais.

Como grande problema da mobilidade, Ricardo Young vê o processo de getrificação, no qual os bairros melhor localizados são supervalorizados, obrigando os moradores de menor renda a irem para regiões mais distantes. Por isso, o candidato defende a adoção de modelos de planejamento global, que não olhem o transporte de maneira isolada.

Russomanno
O foco na prevenção é a principal proposta de Celso Russomanno, do PRB, para a saúde. Segundo ele, evitando o agravamento de doenças os R$ 9 bilhões disponíveis no orçamento anual da prefeitura poderão ser melhor investidos, permitindo a contratação de mais médicos e profissionais de saúde, com salários melhores e plano de carreira. O candidato acredita ainda que dessa forma os recursos serão suficientes para investir em infraestrutura e equipamentos.

Para o transporte público, Celso Russomanno, pretende ampliar o número de terminais de ônibus, para melhorar a conexão entre linhas, e revisar a política de tarifas, diminuindo o impacto no orçamento das famílias de baixa renda. O candidato pretende ainda revisar a política de redução de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros e a implantação de radares e lombadas eletrônicas.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook