Semáforos de BH ajudam a identificar igrejas

Sinal de pedestre reproduz fachada da Igreja S
Sinal de pedestre reproduz fachada da Igreja So Jos, no Centro de Belo Horizonte: 15 templos esto includos no projeto. Foto: Beto Novaes/EM/D.A.Press

Novos sinais de preservação do patrimônio de Belo Horizonte. A fachada de igrejas católicas e evangélicas, no perímetro da Avenida do Contorno, está agora reproduzida nos semáforos de pedestres. Segundo o presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC), Leônidas Oliveira, trata-se da segunda etapa do projeto Cidade Revelada – Interpretação e Sinalização do Patrimônio Histórico, iniciativa em parceria com a Belotur e BHTrans. A primeira fase do trabalho contemplou prédios históricos e monumentos e, nesta etapa, valoriza 160 equipamentos no entorno de 15 templos. “A sinalização substitui os bonequinhos e funcionará exatamente como as tradicionais, indicando os tempos verde e vermelho para a travessia dos pedestres”, informa.

Leônidas conta que o turismo religioso vem crescendo muito, daí a necessidade de destacar os templos e a história de cada um, entre eles a Capela de Nossa Senhora do Rosário, a mais antiga da capital e localizada na Avenida Amazonas, entre as ruas São Paulo e Tamoios, no Centro. A terceira fase do projeto Cidade Revelada vai ter o foco nos espaços culturais, a exemplo de museus, bibliotecas e outros também localizados fora da Contorno.

As novas máscaras nos semáforos, com a fachada das igrejas, ficarão no entorno dos seguintes templos: Segunda Igreja Presbiteriana de BH, Igreja de São José, Igreja Metodista do Brasil, Igreja Ortodoxa São Jorge, Primeira Igreja Batista de BH, Capela de Nossa Senhora do Rosário, Igreja do Sagrado Coração de Jesus, Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, Primeira Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte, Capela do Instituto Metodista Izabela Hendrix, Igreja de Santa Efigênia, Igreja de Nossa Senhora de Fátima, Igreja de Nossa Senhora da Consolação e Correia, Igreja de Nossa Senhora das Dores e Capela da Igreja de Nossa Senhora do Líbano.

Valor
O projeto, acredita o presidente da FMC, tem como objetivo enaltecer os principais patrimônios culturais da cidade, destacando ícones culturais, patrimônios da cidade por seus valores históricos e preceitos arquitetônicos. “A ideia é conduzir e despertar curiosidade na população, permitindo a todos um novo olhar sobre a cidade”, afirma.

A segunda etapa vai ao encontro do Roteiro Turístico de BH montado especialmente para aqueles que buscam visitar locais relacionados à religiosidade. “O projeto Caminhos da fé visa oferecer aos turistas a oportunidade de experimentar a capital de forma diferenciada, sob novos pontos de vista e perspectivas. Esse roteiro propõe a visita a momentos de várias religiões. A sugestão completa de roteiro está no site www.roteirosdebh.com.br/roteiro/caminhos-da-fe.

Além dessas intervenções, a FMC, vinculada à Prefeitura de Belo Horizonte, concluiu em março a instalação dos totens e placas de sinalização do projeto Bahia Revelada – Sinalização Interpretativa do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte. O material bilíngue traz dados históricos sobre bens considerados patrimônio cultural do município, além de informações direcionais e mapas com sua localização.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook