Suspeito de matar enteada é agredido por presos na Delegacia de Matriz

José Augusto Santos da Silva foi colocado numa cela separada dos demais detentos

 

O padrasto da pequena Geisiely Mariano da Silva, de 10 anos, encontrada morta na manhã desta quinta-feira (1º), em uma área de mata na zona rural do município de Passo de Camaragibe, foi agredido pelos presos da Delegacia de Matriz de Camaragibe, para onde foi levado. Os policiais que estavam no serviço precisaram separá-lo dos detentos para que ele não fosse linchado.

Informações repassadas pelos agentes dão conta de que José Augusto Santos da Silva, de 28 anos, foi retirado à força de um dos xadrezes da distrital, puxado pela grade e agredido pelos presos. Ele já tinha sido tirado da Delegacia de São Luís do Quitunde devido ao risco de ser espancado. A polícia estuda a possibilidade de transferi-lo para Maceió ainda nesta quinta-feira.

Após o desaparecimento da menina, José Augusto foi preso por ser o principal suspeito. Na delegacia, ele confessou que sequestrou a enteada para se vingar da mãe dela, após um desentendimento do casal, que mora em São Luís do Quitunde. A intenção, segundo José Augusto, era "fazer raiva" à companheira, se vingar após a discussão.

 

Corpo da criança foi encontrado em área de mata no Litoral Norte

FOTO: Severino Carvalho

Achado

 

O corpo da criança foi localizado na manhã desta quinta-feira semienterrado e com várias escoriações, uma delas sendo uma forte pancada na região posterior do crânio. A Perícia Oficial acredita que a vítima foi espancada até a morte e pode ter sido estuprada pelo suspeito, já que foi encontrada sem calcinha.

A perícia observou que a criança usava, apenas, camiseta azul e uma saia preta, sem a peça íntima. Devido à ausência, cresce a possibilidade de que o principal suspeito de ter cometido o crime, o padrasto da menina, tenha abusado sexualmente da enteada antes de matá-la. À Gazetaweb, o perito revelou que há sinais de que o crime sexual tenha sido, de fato, praticado. Um exame será feito para dar a confirmação da suspeita

 

Gazetaweb

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook