Técnico da Inglaterra é flagrado arquitetando esquema de corrupção

Sam Allardyce não viu problemas em burlar regras da FA e disparou críticas ao seu antecessor… sobrou até para príncipe britânico!

O técnico da Seleção Inglesa, Sam Allardyce, está no centro de uma grande investigação feita pelo jornal “The Telegraph”, que promete desvendar vários esquemas de corrupção no futebol local. No primeiro capítulo, o comandante do English Team foi mostrado usando sua posição para negociar um acordo de 400 mil libras (cerca de R$ 1,68 milhão) para ajudar uma empresa asiática (fictícia, inventada pelo veículo) a burlar as regras envolvendo transferências dos jogadores na Inglaterra.

Allardyce concordou em fazer o papel de embaixador em viagens para Cingapura e Hong Kong, e explicou para um repórter disfarçado de empresário como driblar as regras da FA (a federação do futebol inglês) na participação de investidores – chamados como ‘terceira parte’ – nos contratos.

Filmado com uma câmera escondida, ainda antes de comandar os seus primeiros treinos como técnico da seleção, Allardyce ainda garantiu que não via problemas em burlar as regras (que foram criadas pela FA em 2008 e passaram a ser seguidas pela FIFA no ano passado).

Vale burlar regras? Para o treinador da Seleção Inglesa este não parece ser um dilema (Foto: Getty Images)

Vale lembrar que o futebol inglês foi o que mais gastou em transferências na última janela. A Premier League desembolsou um total de 1,17 bilhão de libras (cerca de R$ 4,9 bilhões), e a segunda divisão também mostrou grande poderio financeiro, gastando 214 milhões de libras (R$ 900 milhões).



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Os jogadores mais perigosos | Os brasileiros no fds europeu | Di María pode voltar para a Inglaterra


Durante as reuniões, Allardyce revelou que o equatoriano Enner Valencia pertencia a uma “terceira parte” quando foi contratado pelo West Ham em 2014. O técnico do clube londrino, naquela época, era exatamente Sam Allardyce.

Valencia chegou ao West Ham por 12 milhões de libras, em 20114 (Foto: Getty Images)

Roy Hodsgon e Gary Neville também não escaparam da ‘matraca’ de Big Sam (Foto: Getty Images)

Conhecido também como Big Sam, o treinador não teve papas na língua ao criticar o seu antecessor na Seleção Inglesa, Roy Hodgson, e o ex-auxiliar Gary Neville. Sobrou até para a própria FA e para o Príncipe Harry, o quinto na linha de sucessão ao trono da Grã-Bretanha.

“Harry é um menino safado, muito safado. Mostra tudo e mais um pouco”.

De acordo com o “The Tellegraph”, a investigação de dez meses descobriu “amplas evidências de suborno e corrupção no futebol britânico”. Outras denúncias adiantadas foram:

• Dez treinadores terem sido nomeados por agentes por aceitarem suborno para “darem um jeito” na transferência de jogadores.

• Dois “técnicos conhecidos” também discutiram sobre se tornarem embaixadores da mesma empresa fictícia.

• Outro treinador de alto escalão admitiu que jogadores quebraram regras da FA ao apostarem nos próprios jogos, mas não reportou à entidade.

• Uma figura experiente de um clube da Premier League ajudou os repórteres disfarçados a formular um plano para subornar treinadores.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook