Últimas

Títulos por clubes: A kriptonita de Ronaldo

Fenômeno demonstrou uma imensa estrela com a camisa da Seleção, mas lesões e transferências atrapalharam as conquistas locais

Todos sabem que Ronaldo teve uma carreira atrapalhada pela sua condição física, seja pelas lesões (principalmente no joelho e as musculares), seja pelo peso. E esses infortúnios acabaram por gerar possivelmente o maior ponto fraco da sua história no futebol: os títulos por clubes.

Mas não foram apenas os problemas médicos que contribuíram para esta carência de conquistas. Transferências, uma delas até contra sua vontade, também dificultaram a sua busca para se tornar lenda em algum time.

O camisa 9 ficou menos de duas temporadas no Cruzeiro e levou apenas o Campeonato Mineiro antes de se transferir para a Europa. Se tivesse permanecido na Toca da Raposa por mais tempo, poderia ajudar a equipe a ir além das semifinais em 1995 no Campeonato Brasileiro.

No PSV, ficou no quase em 1995/1996, com o vice-campeonato. Já em Barcelona Barcelona, em apenas uma temporada, fez parte de algumas conquistas menores e foi artilheiro dos catalães no título da Copa del Rey, apesar de ter ficado de fora de decisão. Melhor do mundo em 1996, ficou a dois pontos da taça do Campeonato Espanhol 1996/1997.

Chegando a Internazionale contrariado, por uma decisão dos seus agentes, Ronaldo nunca conseguiu levar a Serie A, mas garantiu o principal título por clubes da carreira: a Copa da Uefa 1997/1998, sendo vice-artilheiro.



GOALLEIA MAIS: GOAL
As mudanças físicas de Ronaldo | Os primeiros passos do Fenômeno


Chegando a Madrid em 2002, veio a grande chance de enfim ser campeão da Champions League, já que o Real era o atual vencedor da taça. Mas o melhor que os merengues conseguiram fazer nas temporadas seguintes foi atingir as semifinais. De consolo, finalmente o Fenômeno era campeão nacional, em 2003.

Transferido para o Milan no início de 2007, o craque brasileiro teve que ver da arquibancada os rossoneri levarem a Liga dos Campeões, porque ele já tinha defendido o Real Madrid naquela edição continental. No Campeonato Italiano, o clube de Milão começou com pontos negativos, por manipulação de resultados, e a edição seguinte foi encurtada por causa de lesões.

De volta ao Brasil em 2009, Ronaldo demonstrou os últimos lampejos do grande jogador que foi e levou a Copa do Brasil e o Campeonato Paulista, este último marcando um gol antológico na decisão na Vila Belmiro. 

Mas o grande sonho corintiano, a Libertadores, acabou se tornando pesadelo com a queda nas oitavas para o Flamengo em 2010, após ser o melhor time da primeira fase, e a vexatória eliminação na pré-Libertadores 2011 para o Tolima, que encerrou a carreira do Fenômeno.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook