Torcedor número um, Angelim relembra momentos no Fla e avisa: "cheirinho de hepta"

Um dos ídolos recentes da história do clube concedeu entrevista exclusiva à Goal Brasil e não titubeou ao falar sobre a possibilidade do título rubro-negro este ano

Em 2005, Ronaldo Angelim subiu mais alto que todo mundo e garantiu o retorno do fortaleza à elite do futebol brasileiro. Depois de ser o grande destaque do Leão do Pici, o zagueiro se transferiu para o Flamengo no início de 2006. Começava alí a escrever seu nome na história de um dos maiores clubes do Brasil.


GOAL VEJA TAMBÉM: GOAL
R. Augusto retorna aos treinos | Os mais habilidosos da América do Sul | Alemanha e Inglaterra vencem


 

Em seis anos de Flamengo, foram seis títulos, entre eles o do hexacampeonato, com participação decisiva do zagueiro que, mais uma vez, subiu mais alto que todo mundo e garantiu, após 17 anos, o título de campeão brasileiro ao clube da Gávea. Parece que realmente o número seis é o número da sorte de Angelim.

 

O Magro de Aço, como é carinhosamente chamado pela torcida rubro-negra, entrou para o hall dos ídolos do clube não só pelos títulos mas pela liderança, humildade e respeito que sempre demonstrou em campo.

 


(Foto: Getty Images)

 

Em entrevista exclusiva à Goal Brasil, o ex-zagueiro e torcedor quando questionado sobre a possibilidade do Flamengo conquistar este Brasileirão garantiu que está sentindo um cheirinho no ar.

 

“Olha, cheiro não essa realidade já está bem proxima, a gente sabe que tem um adversário ali complicado que é o Palmeiras mas como o Flamengo vem jogando e empolgado eu to sentindo um cheirinho de hepta aí. Então, a galera fica espera!”

 


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

 

Agora aposentado, Angelim retornou para Juazeiro, no Ceará. Cidade onde morou a maior parte de sua vida, lá vive um dia a dia bem tranquilo mas não deixa de acompanhar o Flamengo. Além da possibilidade do título, o Magro de Aço relembrou a conquista de 2009 e analisou o momento da equipe.

 

Confira abaixo a entrevista completa:

 

Como está sendo essa vida de aposentado do futebol?

 

R. Angelim: Faço praticamente nada, estou morando em Juazeiro terra onde eu fui criado. A minha vida lá é bater racha nas terças e no domingo. Bater racha para quem não sabe é jogar pelada na gíria do futebol. Eu coloco a cadeira na calçada da frente e fico balançando até o sol bater, quando bate eu me viro pro lado. Minha vida é essa, mas quando tem jogo do Fla Master eu venho jogar.

 


(Foto: Getty Images)

 

Os filhos estão seguindo o caminho do pai?

 

R.Angelim: Ronald que é o mais velho está com quinze anos e o Riquelme com 10 eles jogam na base do Icasa. São zagueiros mas estou tentando colocar o Riquelme para atuar mais de volante, mas os dois gostam de jogar na posição que eu joguei.

 

Sente saudades do tempo de jogador? Quais são suas recordações?

 

R. Angelim: Recordação eu tenho várias, mas não tem como esquecer o gol contra o Grêmio. Tem muita lembrança positiva, negativa também. A negativa foi aquele jogo contra o América do México, foi uma frustração muito grande, principalmente para mim que sempre tive vontade de ganhar uma Libertadores, mas faz parte. Na sua carreira você não tem só o lado bom. Agora a melhor foi ogol do hexa sem dúvida. Apesar de ter levado seis títulos no Flamengo mas aquele depois de 17 anos foi o meu melhor momento.

 


(Foto: Getty Images)

 

Como você via aquele grupo de 2009?

 

R. Angelim: Era interessante né, um grupo que você via era polêmica em cima de polêmica mas a qualidade individual decidia. A gente tinha problema toda hora no extra-campo mas no jogo esses problemas não existiam, a rapazeada com a qualidade que tinha fazia a diferença. Não tínhamos um elenco mas os jogadores em si era muito bos. Adriano, Pet, Léo Moura, Juan, Bruno, jogadores decisivos que nahora que a gente precisava estavam lá para decidir. Era um time pronto para ser campeão brasileiro.

 


(Foto: Getty Images)

 

O que está achando do atual Flamengo? Da para ser campeão?

 

R. Angelim: Podem até achar que a torcida do Flamengo tem aquela euforia quando o time está bem mas você tem é que analisar o que a equipe está produzindo. Eu vejo o Flamengo bem compactado dentro de campo, que sabe o que quer e vejo a possibilidade muito grande do Flamengo ser campeão novamente esse ano. 

 


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

 

Mas o Palmeiras está firma na briga pelo título.

 

R. Angelim: Eu não acredito que o Palmeiras vá manter essa batida e o Flamengo está mostrando confiança, tendo um retrospecto bom fora de casa e o Palmeiras vai ter uma sequência difícil agora e vai tropeçar. O Flamengo terá uma sequência teoricament emais fácil mas tem que jogar futebol e manter os pés no chão para assumir a liderança. Com essa pressão toda daqui até o final do ano o Palmeiras não vai aguentar.

 

Como especialista no assunto, está aprovada a dupla Rafael Vaz e Réver?

 

R. Angelim: Eles vieram para ser reservas do Juan e do argentino (Donatti) e assumiram a titularidade, o futebol é bom por isso porque é dinâmico. Eles tiveram personalidade e ganharam a vaga dentro de campo. Pro Flamengo é muito bom porque essa disputa sádia com quatro jogadores de qualidade. Eles passaram tranquilidade ao time, e o time toma bem menos gols. 

 


(Foto: Cesar Greco / FotoArena)

 

Mas tem que falar do Márcio Araújo porque é um jogador muito criticado mas todo mundo da importância dele, principalmente quem jogou bola, ele protege muito bem alí na frente da zaga, o sistema defensivo está muito bem.

 

E o treinador?

 

R. Angelim: O Zé Ricardo sabe o que está fazendo, é um excelente treinador por isso tudo dificlmente esse ano o título vai fugir do Flamengo.

 


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

 

O que o Flamengo significa para você?

 

R. Angelim: Para mim o Flamengo é tudo, e para minha família também. Tudo o que tenho hoje e por ser reconhecido eu devo ao Flamengo. Além de ser o torcedor número 1 do Flamengo eu tive a felicidade de jogar seis bons anos no clube. Eu só tenho que agradecer porque se não fosse o Flamengo eu acho que não seria o Ronaldo Angelim.

 

Além do Brasileiro de 2009,  Ronaldo Angelim conquistou a Copa do Brasil em 2006 e os Camponatos Carioca de 2007, 2008, 2009 e 2011. Além de Flamengo e Fortaleza também passou por Icasa, Ceará e Ituano.

 

 


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook