Últimas

Wenger, Ozil e Walcott exaltam Arsenal após vitória; Conte critica o Chelsea: “excelente apenas no papel”

O clima foi muito diferente depois do clássico londrino disputado neste sábado, e vencido pelos Gunners

Jogando em casa, o Arsenal jogou muito bem e bateu o Chelsea por 3 a 0 neste sábado (24). Depois da partida, válida pela sexta rodada do Campeonato Inglês, os Gunners não esconderam a felicidade. Afinal de contas, não batiam o rival azul desde 2011 em jogos do principal torneio nacional.

Arséne Wenger demonstrou um ânimo que não era visto há anos; Ozil disse que Londres está vermelha e elogiou o time, assim como Walcott. Do outro lado, o técnico do Chelsea, Antonio Conte, não escondeu a sua decepção com sua equipe. Confira a repercussão do clássico londrino!


Arséne Wenger: “uma de nossas melhores atuações”


Chefe orgulhoso (Foto: Getty Images)

“Eu estou com mais fome agora do que eu tinha (em 1996, quando chegou ao clube), porque eu sei que não tenho mais 20 anos na minha frente”, disse. “Eu também sinto uma responsabilidade. Você não pode estar 20 anos em um lugar e não se importar, então hoje eu estou mais consciente do que o Arsenal representa. E eu sinto o peso de manter as pessoas felizes e fazer as pessoas felizes”.

“Foi uma de nossas melhores atuações dos últimos anos. E ainda mais porque tínhamos que lidar com alguns fatores inconvenientes antes do jogo. Mais especificamente, que não vencíamos o Chelsea há anos. Tínhamos que tirar isso de nosso sistema… era um peso psicológico em nosso caminho”.


Ozil: “estamos evoluindo a cada jogo”


Ozil desequilibrou para o Arsenal (Foto: Getty Images)

“Muitos que se consideram especialistas já tinham nos descartado depois da segunda rodada” disse para a Goal. “Mas a temporada da Premier League é longa e atualmente estamos evoluindo a cada jogo”.


“No primeiro tempo, jogamos exatamente o tipo de futebol que queríamos: combinações rápidas, que fizeram com que nossos oponentes não tivessem nem chance de tentar o desarme”, explicou o alemão. “Se os nossos torcedores nos apoiarem na quarta-feira (28), como fizeram hoje, estaremos nas melhores condições para jogarmos”.


Walcott: Arsenal se doou mais do que o Chelsea


O atacante comemorou no seu 350º jogo pelos Gunners (Foto: Getty Images)

Autor de um gol em seu jogo de número 350 com os Gunners, Theo Walcott comemorou o retorno das vitórias sobre o Chelsea e garantiu que foi um triunfo de todo o grupo. Experiente com os feitos e a expectativa em cima do clube, o inglês mantém os pés no chão.

“Nós trabalhamos muito duro na semana. É lógico que sabíamos o que tinha acontecido no passado, mas o que importa é o agora. Este time tem brilho, ´jovem, e agora tem muito mais experiência neste tipo de jogo”, opinou. Walcott também viu uma grande evolução no time desde a estreia da Champions League, no empate com o Paris Saint-Germain.

“Todos estão focados, e vocês puderam ver isso. Eram onze homens que queriam ganhar isso mais do que o outro time. Observando, de fora, o jogo contra o PSG, eu não viajei, e dava para ver que o jogo era duro e nós aguentamos. A experiência e os anos na Champions League estão caindo sobre este time agora. O mais importante foi que mantivemos onze homens no gramado, sabemos de nossa história contra o Chelsea. Os dois zagueiros foram fantásticos, e mantiveram o (Diego) Costa quieto”.


Antonio Conte: “nosso time é excelente apenas no papel”


(Foto: Getty Images)

“Precisamos trabalhar muito para melhorarmos, para mudarmos essa situação. Porque, hoje, eu acho que o nosso time é excelente apenas no papel e não no gramado. Eu prefiro ser um grande time não apenas no papel, mas também no gramado. Porque o gramado fala, o gramado é a verdade. O gramado é a coisa mais importante para a gente”, alfinetou.



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Real sem Casemiro. Como fazer? | Crônica: passeio do Arsenal sobre o Chelsea | Neymar e Barça: polêmica sem fim


“Precisamos mudar isso, porque a última temporada foi uma temporada ruim. Eu preciso encontrar a solução correta para este time, porque em todos os jogos nós levamos dois gols. No mínimo. Se eles não estiverem acostumados a isso, eu não ligo. Eu preciso encontrar uma solução”.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook