Últimas

Cantores debatem definições de “carreira” e “ministério”

18/10/2016 – 12:00

Debate ocorreu na Festa Nacional da Música e reuniu Daniela Araújo, PG, Eli Soares, Fábio Sampaio, Paulo César Baruk e outros



Cantores debatem definições de “carreira” e “ministério” Imagem: Reprodução/galeria Festa Nacional da Música

O painel evangélico na Festa Nacional da Música, ocorrida em Porto Alegre ontem (17/10), trouxe artistas e profissionais do segmento evangélico para debater duas temáticas. Uma delas se propunha a traçar reflexões sobre o futuro da música cristã brasileira e outra retomou o mesmo tema do ano passado, acerca das definições de “carreira” e “ministério”.

Nos dois temas, o evento recebeu a presença de cantores como Daniela Araújo, Geraldo Guimarães, PG, Paulo César Baruk, Delino Marçal, Eli Soares, Pr. Lucas, Weslei Santos e Clovis Pinho, do Preto no Branco e o vocalista da Tanlan, Fábio Sampaio. De profissionais, estiveram Alomara Andrade (MK Music), Renata Cenízio (Universal Music) e Cláudia Fonte (Som Livre).

O cantor e pastor gaúcho Fabinho Vargas, ex-integrante do Tchê Guri, esteve responsável pela organização das mesas. Os temas, no entanto, acabaram se misturando durante o debate. Paulo César Baruk especificou diferenças entre os termos, enquanto PG e Eli Soares relataram situações constrangedoras de religiosidade que tiveram de enfrentar em igrejas.

Durante a abertura de perguntas para o público, os cantores envolveram-se numa saia justa pela obrigatoriedade de responder um questionamento polêmico acerca da música “Raridade”, de Anderson Freire. O responsável pela pergunta não quis citar o nome do cantor e quis saber a opinião dos artistas presentes acerca da música que, segundo ele, tem um objetivo humano.

Com isso, Daniela Araújo prontificou-se a responder e se posicionou afirmando que existe uma demanda dentro do universo evangélico por músicas com temáticas humanas. “As pessoas precisam ser motivadas e ter sua fé fortalecida”, argumentou a artista. Pr. Lucas concordou e endossou a visão de Daniela.

Em síntese, os artistas também mencionaram a necessidade de se esclarecer, no universo evangélico, o significado de “artista”. Segundo eles, há uma noção incorreta de que arrogância seja um sinônimo de ser artista enquanto, na verdade, artista é quem produz arte. E música, nestes termos, é arte.

Assista ao painel na Festa Nacional da Música:


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook