Últimas

Com 35 inscritos para falar, base quer encerrar discussão sobre PEC após o 10º

Quase três horas após o início da reunião da Comissão Especial que votará o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que institui um teto de gastos, 35 deputados ao todo estão inscritos para falar. A base aliada, no entanto, apresentou um requerimento para encerrar a discussão após a fala do 10º parlamentar. Esse pedido ainda terá de ser votado, mas é provável que seja aprovado diante da maioria governista.

Neste momento, o deputado Mauro Pereira (PMDB-RS) é o oitavo a discursar. Os deputados membros da comissão têm 15 minutos cada para explanar sua posição.

Caso a discussão seja encerrada, a votação ainda será precedida pela fala de líderes. Segundo a secretaria da mesa da comissão, 11 lideranças já se inscreveram e terão 15 minutos cada para discursar.

Solla
Contrário à PEC 241, o deputado Jorge Solla (PT-BA) acusou a medida de reduzir os recursos para a Saúde, na contramão da tese defendida pelo governo.

“Todo mundo sabe que o SUS é subfinanciado e querem cortar recursos da Saúde sim. Como a inflação da Saúde é praticamente o dobro do IPCA, a cada ano vamos perder um IPCA de valor para a Saúde”, argumentou. “É a primeira vez que vejo um ministro da Saúde ficar calado e não pedir mais recursos para área”, completou.

O parlamentar petista também acusou a PEC de reduzir os recursos para a Educação. “Os golpistas não estão preocupados com acesso à educação superior. O PT gastou muito dinheiro criando universidades e institutos federais, o que para os golpistas é desperdício”, acrescentou.

O deputado baiano ainda retrucou acusações feitas ao seu partido por adversário que o antecederam. “Esses que nos acusam têm ladrões aos montes, até traficantes de cocaína. Estão cheio de ladrões, são uma gangue”, exaltou-se.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook