Últimas

Com base 90% montada na defesa, Seleção tem apenas uma dúvida… e não é Thiago Silva

Ao contrário do que vinha acontecendo com Dunga, a equipe de Tite teve sequência na escalação de seus defensores e levou apenas um gol em três jogos


GOAL Por Tauan Ambrosio 


Desde a chegada de Tite ao comando técnico da Seleção, muita coisa melhorou. A equipe, que vinha com vaga para a Copa do Mundo de 2018 ameaçada pela péssima campanha nas Eliminatórias, pulou para a liderança na última terça-feira (11), com os 2 a 0 sobre a Venezuela.

O clima ficou mais leve e o futebol jogado em campo vem agradando críticos e torcedores. Muito disso, graças aos bons números ofensivos – com Tite, foram 12 gols em quatro jogos, nas Eliminatórias, contra 11 em seis partidas sob o comando de Dunga na mesma competição.

Só que uma equipe precisa ter equilíbrio para entregar os bons resultados. Os números do ataque são exaltados, porque a torcida gosta de comemorar os gols. Mas para vibrar com vitórias, o desempenho defensivo é tão importante quanto. E com uma base cada vez mais sólida na primeira linha, a Seleção já mostra uma estrutura.

Seleção tem o melhor ataque e segunda melhor defesa das Eliminatórias

Nos últimos quatro jogos, o Brasil sofreu apenas um gol – na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, na Arena da Amazônia. Ou seja: desde a estreia de Tite, passou três partidas sem buscar a bola no fundo das redes. Com Dunga, o Brasil só ficou uma vez sem levar gols (nos 3 a 0 sobre o Peru, na quarta rodada).



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
5 lições de Brasil vs Venezuela | A preocupação de Tite | Seleção: raio-x das atuações


Antes de Tite, a primeira linha defensiva não teve continuidade – da lateral direita para a esquerda, a escalação não se repetiu, de um jogo para o outro, nenhuma vez nas Eliminatórias sob o comando de Dunga.

Em sua estreia, na altitude equatoriana, Tite alinhou a defesa com: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo. Os mesmos nomes estiveram em campo contra a Colômbia e, frente a Bolívia e Venezuela, apenas Filipe Luís entrou no lugar de Marcelo – que não se apresentou por causa de uma lesão muscular.

Desde a chegada de Tite, a defesa mostrou grande melhora. A única dúvida é na lateral-esquerda

Com essa estrutura, os adversários acertaram menos chutes no gol e a proteção de todo o sistema defensivo (que inclui aí meio-campistas e outros jogadores de linhas mais à frente) diminuiu erros individuais.

A Seleção Brasileira parece estar com a sua defesa 90% montada. E quem pensava que o retorno de Thiago Silva (que caiu em desgraça com Dunga) colocaria uma dúvida imediata na cabeça de Tite, vê na disputa ferrenha pela lateral-esquerda, entre Filipe Luís e Marcelo, a última peça deste quebra-cabeça inicial.  


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook