Últimas

Com quatro mudanças, veja o que podemos esperar do "novo Brasil"

Fernandinho dando mais liberdade aos laterais e meias, Coutinho e Neymar invertendo posições são apenas algumas das opções que Tite terá esta noite

Depois de vencer os dois primeiros jogos contra Equador e Colômbia no comando da Seleção Brasileira, Tite terá um desafio teoricamente mais fácil na noite desta quinta-feira(6). O vice-líder Brasil encara a Bolívia, 8ª colocada na tabela, às 21h45(Brasília), na Arena das Dunas, em Natal.


GOAL VEJA TAMBÉM: GOAL
F.Luís, o “escudeiro” do Atleti | Giuliano explica como vai jogar  | Vai que é sua, Coutinho!


 

Diferente das duas primeiras partidas onde o Brasil entrou em campo com a mesma formação, Tite será obrigado a levar um novo time para o duelo desta noite. Sem Casemiro, Marcelo e Paulinho, o treinador promoveu as entradas de, Fernandinho, Filipe Luís e Giuliano. Além disso, Philippe Coutinho, por opção do treinador, ganhou a vaga de Willian e começará a partida como titular.

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

Com quatro mudanças significativas, é inegável que a Seleção deve apresentar algo diferente. Principalmente pelas características dos jogadores escolhidos. 

 

Filipe Luís, por exemplo, é mais contido na defesa e sobe pouco ao ataque. Diferente de Marcelo que tem na ofensividade sua principal arma. Nos dois últimos jogos era comum vê-lo tabelando com Neymar, se infiltrando pelo meio ou subindo com frequência ao setor ofensivo. Por outro lado, com o lateral mais concentrado atrás, a liberdade dos jogadores pelo lado esquerdo deve aumentar.

 

(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

Na vaga de Casemiro, Fernandinho terá talvez a maior responsabilidade. Considerado o ponto de equilíbrio e maior ladrão de bolas do Brasil nos dois últimos jogos, o volante do Real Madrid foi o melhor jogador do Brasil nessas duas partidas. 

 


(Foto: Getty Images)

 

Por outro lado, com o volante do Manchester City em campo, Tite ganha um jogador que pode fazer a função de terceiro zagueiro e dar suporte para a subida dos laterais. No caso de Daniel Alves, por exemplo, o lateral-direito pode ter mais liberdade na partida, sem precisar se preocupar muito em voltar e fechar a marcação o tempo todo.

 

Bem como no meio, Renato Augusto e Giuliano poderão ter mais liberdade para flutuar com Fernandinho fazendo a função de primeiro homem do meio-campo. E caso queira tornar a equipe mais ofensiva, ou precise buscar o resultado, Tite também ganha opção de tirar um zagueiro e recuar o volante para a zaga.

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

Para Tite, o lugar onde Giuliano rende melhor é mais recuado. Ele mesmo lembrou que o meia atuava assim no Internacional. Na sua cabeça, o treinador espera que ele faça a articulação das jogadas e depois chegue ao ataque como opção. Exatamente o que vem fazendo Renato Augusto , que desta maneira recuará para a posição de Paulinho.

 

A entrada de Coutinho no lugar de Willian é o que pode, no primeiro momento, causar a maior mudança no time. Já que os dois atletas atuam de forma distinta.

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

O jogador do Chelsea, costuma cair pelos lados do campo, mais precisamente abrindo o jogo pela direita e se infiltrando pelo meio em alguns momentos da partida. Já o meia do Liverpool fica mais focado na parte criativa, mesmo gostando de atuar pela esquerda se adapta bem ao centro.

 

Não se assuste se Coutinho e Neymar trocarem de posição constantemente durante o jogo. Já que nos dois últimos jogos, Tite deu liberdade para que Neymar se infiltrasse pelo meio-campo. Agora, com Philippe Coutinho os dois podem inverter as posições e dificultar ainda mais a marcação do adversário. 

 


(Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press / Divulgação)

 

A ideia de Tite é que Coutinho abra melhor a linha de passe, e se movimente bastante afim de criar jogadas e servir os companheiros de ataque, sem esquecer da marcação. Ele será um quarto homem de meio-campo na hora de recompor a defesa e armar o contra-ataque. Na gíria do futebol o cara que “carrega o piano”.

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

Apesar das mudanças, podemos esperar do time com os pilares primordiais defendidos pelo treinador que são: concentração, triangulações, bastante movimentação e valorização da posse de bola. 

 

Com 15 pontos, um a menos que o líder Uruguai, o Brasil encara a Bolívia nesta quinta-feira(6), às 21h45(Brasília), na Arena das Dunas em Natal, pela 9ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Em caso de vitória brasileira e um tropeço uruguaio, a Seleção assume a liderança do torneio.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook