Últimas

Editorial: Prevenção é o melhor remédio

Bastam pouco mais de 40 minutos por dia para a mudança acontecer. Mas, para isso, é preciso conscientização. No Brasil, uma em cada três crianças entre 5 e 9 anos é considerada acima do peso. O dado é do Ministério da Saúde e alerta para um perigo que extrapola o aspecto físico. Problemas de saúde sérios, como colesterol alto, diabetes, depressão, doenças do sistema respiratório e hipertensão arterial precisam ser o verdadeiro foco do debate. Para começar a combater o sobrepeso na infância e suas consequências, a Organização Mundial de Saúde (OMS) indica uma rotina aparentemente simples, mas que exige, na verdade, força de vontade: exercícios físicos durante pelo menos 40 minutos por dia, ou seja, 300 horas semanais.

O Diario traz o assunto à tona às vésperas do Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, lembrado amanhã em todo país. Os adolescentes, alerta o Ministério da Saúde, seguem o mesmo caminho. Ao todo, 33% dos jovens entre 12 e 17 anos também apresentam sobrepeso e, desses, 8% são obesos. Trata-se de um dos maiores problemas de saúde pública do país, superando a desnutrição e ameaçando diminuir a expectativa de vida no Brasil, alerta a OMS.

Os pais precisam estar atentos. Além da falta de exercício físico e o grande consumo de alimentos com alto teor calórico, existe, ainda, a instabilidade emocional comum à idade para aumentar as chances de uma criança ganhar peso. Portanto, colocar limites na alimentação dos filhos, com alimentação balanceada, promover a prática de esportes ou caminhada e ouvir mais as crianças e adolescentes é a lição de casa.

O problema é tão grave que a OMS disparou um alerta vermelho sobre a questão ao redor do mundo. O alerta vale, principalmente, para países considerados emergentes, como o Brasil.

Outro fator de atenção redobrada: a obesidade também pode ter causas e síndromes genéticas, como tumores no eixo do hipotálamo-hipofisário ou distúrbios endócrinos como hipotireoidismo e Síndrome de Cushing. Juntos, esses fatores são responsáveis por até 5% dos casos de sobrepeso. Um olhar mais atento às nossas crianças e adolescentes é preciso. Para a garantia de um presente e futuro melhor para eles.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook