Últimas

Escolas particulares têm as 50 melhores notas do Enem 2015 em AL

Dez notas mais baixas foram de escolas estaduais. Mais de 200 unidades de ensino foram avaliadas no estado.

 

 

Pesquisa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgada nesta terça-feira (4) aponta que as 50 melhores médias do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2015 em Alagoas foram de escolas particulares. Escolas estaduais tiveram um desempenho baixo na avaliação.

O critério de divulgação inclui todas as escolas em que pelo menos 50% dos estudantes matriculados no terceiro ano do ensino médio participaram do Enem 2015. A pesquisa também trouxe dados nacionais. Clique aqui para ter acesso

A pesquisa revela que as melhores notas tiradas no Enem em Alagoas pertencem às unidades que têm nível socioeconômico muito alto ou alto.

Em relação às provas objetivas, o Colégio Contato ficou com a maior média, 631,96 pontos. Logo abaixo está o Colégio Maria Montessori (611,89) e o SEB COC Maceió (593,80). Todas as unidades são localizadas na capital do estado.

De acordo com o Inep, o melhor resultado entre as escolas estaduais foi o do Colégio Tiradentes da Polícia Militar, em Maceió, que obteve média 514,87. Essa foi a 54ª melhor nota entre todos os colégios do estado.

Veja as 10 escolas de AL com as maiores médias nas PROVAS OBJETIVAS do Enem 2015
1.  Colégio Contato (Maceió) – privada – média 631,96
2.  Colégio Maria Montessori (Maceió) – privada – média 611,89
3.  SEB COC (Maceió) – privada – média  593,80
4. Colégio Santa Úrsula LTDA – (Maceió) – privada – média 592,90
5. Colégio Santíssimo Sacramento (Maceió) – privada – média 589,65
6. Colégio Santa Madalena Sofia (Maceió) – privada – média 579,97
7. Colégio Marista de Maceió (Maceió) – privada – média 573,91
8. Sociedade Educacional Elite LTDA (Maceió) – privada – média 570,31
9. Colégio Adventista de Maceió (Maceió) – privada – média 561,48
10.  Alternativa Escola de Educação Básica (Arapiraca) – privada – média 561,48

Em ordem decrescente da lista, as 10 piores notas são de escolas estaduais. A Escola Estadual Izidro Teixeira, em Chã Preta, foi a que tirou a menor nota (427,24). Em penúltimo lugar está a Escola Estadual D. Eliseu Maria Gomes Oliveira (429,35), em Japaratinga. Abaixo desta está a Escola Estadual Manoel Passos Lima (436,93), em Palmeira dos Índios.

As escolas particulares que tiraram as piores notas também ficam localizadas no interior do estado. A com nota mais baixa nessa categoria é a Escola de Educação Básica Vovó Joana (447,07), em Pilar.

Ensino estadual aparece apenas na 54ª posição, que é a do Colégio Tiradentes  (Foto: Natália Normande/G1)Ensino estadual aparece apenas na 54ª posição, que é a do Colégio Tiradentes (Foto: Natália Normande/G1)

Veja as 10 escolas ESTADUAIS em AL com as maiores médias nas PROVAS OBJETIVAS do Enem 2015
Colégio Colégio Tiradentes Polícia Militar (Maceió) – média 514,87
Escola Estadual Prof José Da Silveira Camerino (Maceió) – média 490,90
Escola Estadual Pe Jefferson de Carvalho (Arapiraca) – média 487,35
Escola Estadual Padre Aurélio Góis (Junqueiro) – média 483,52
Escola Estadual Quintella Cavalcanti (Arapiraca) – estadual – média 480,38
Escola Estadual Marcos Antônio C Silva (Maceió) – estadual – média 479,10
Escola Estadual Egidio Barbosa da Silva (Palmeira dos Índios) – média 478,16
Escola Estadual Watson Clementino de Gusmão Silva (Delmiro Gouveia) – média 477,39
Escola Estadual Professora Margarez Maria Santos Lacet (Maceió) – média 473,97
Escola Estadual Santos Dumont (Rio Largo) – média 473,10

Estado afirma que muda cenário
Diante do abismo que existe entre a classificação das escolas particulares e públicas no estado, o G1 questionou a Secretaria de Estado da Educação sobre o quadro.

Por meio de nota, a Seduc diz que os dados apresentados pelo Enem 2015 refletem a cadeia do ensino de décadas, e que desde início da gestão do atual governo, em janeiro de 2015, vem investindo na infraestrutura das escolas com a reforma de 72 instituições e licitação para outras 70, a partir de 2017, além de construir 31 ginásios poliesportivos e licitar a construção de mais 37.

Cita ainda o investimento ao Programa Alagoano de Ensino Integral em 17 escolas de ensino médio, sendo 14 com cursos profissionalizantes e três de referência. "Vale ressaltar que Alagoas não tinha nenhuma escola até então, e o estado optou por esse caminho mesmo antes do MEC anunciar investimento de R$ 1,5 bi para implementação desta política.

A Secretaria da Educação afirma ainda que investiu mais de R$ 10 milhões na descentralização de recursos para as escolas realizarem reparos emergenciais e adquirirem equipamentos, além de R$ 2,7 milhões para aquisição de internet e componentes eletrônicos.

A Seduc conclui dizendo que além da gratificação de diretores, criou a função de articulador de turma e promove formação continuada de professores de Matemática e Língua Portuguesa que terá efeito direto na aprendizagem dos estudantes do ensino médio.

 

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook