Últimas

Exclusivo: Pratto, o Messi de PlayStation e o sonho de marcar contra o Brasil sem Neymar

Em bate-papo com a Goal Brasil, atacante do Atlético-MG fala sobre parceria com Messi, disputa por vaga com Higuaín e desejos com a Argentina

A primeira convocação de Lucas Pratto para a seleção argentina surpreendeu muita gente. Não pela qualidade inquestionável do atacante, nem mesmo pela fortíssima concorrência no ataque albiceleste, mas sim pelo momento ruim então vivido pelo camisa 9 do Atlético-MG, que em má fase, sofria com um jejum de gols, críticas e atuações decepcionantes. Curiosamente, em seu pior momento no Galo, ele recebeu uma chance em seu país, dada por Edgardo Bauza, fã declarado do Urso, que inclusive tentou levá-lo para o São Paulo.



GOALLEIA MAIS: GOAL
Exclusivo: Pratto planeja deixar o Galo | Exclusivo: Pratto, Robinho troll e muita zoeira no Galo | Exclusivo: Pratto se abre sobre Fred


Pratto, porém, provou que sua convocação era merecida. Após um jogo regular contra o Uruguai, fez uma boa partida e foi muito importante no empate fora de casa com a Venezuela, inclusive marcando um gol, seu primeiro pela seleção, e ajudando a Argentina a se recuperar em uma partida que parecia perdida após um primeiro tempo e início de segundo muito ruins.

(Foto: Telam)

No Atlético-MG, o camisa 9 voltou a atuar como centroavante, ao invés de jogar um pouco mais recuado, com Fred no comando de ataque. A volta ao seu posicionamento original no Galo fez o Urso rapidamente voltar a mostrar seu melhor futebol e marcar gols, três deles importantíssimos, contra Ponte Preta (ajudando na emocionante classificação na Copa do Brasil), Internacional (garantindo triunfo fundamental no Brasileirão) e Juventude (decretando a vitória e uma pequena, mas necessária vantagem no mata-mata nacional).

Não à toa, Pratto voltou a ser convocado por Bauza para a Argentina, desta vez para encarar Peru e Paraguai, também pelas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018. Em entrevista exclusiva à Goal Brasil, o Urso falou sobre a emoção de defender seu país, como foi receber a notícia de sua primeira convocação e seu primeiro gol pela Albiceleste. “Não tinha conversado com o Bauza sobre a convocação, e ele não tinha comentado comigo nada sobre me convocar. Nós só tínhamos conversado por telefone algumas vezes. A emoção que eu senti, acho que todo mundo sente quando é convocado pela primeira vez”, comentou.

(Foto:JUAN MABROMATA/AFP/Getty Images)

“Eu não esperava ser convocado para a Argentina, nem ter uma oportunidade, porque disputo posição com os melhores atacantes do mundo, mas sabia que estava fazendo as coisas bem há um tempo. Tive três anos bons no Vélez e quase dois anos aqui (no Atlético-MG), e sabia que o momento seria esse, com um treinador que olha mais para os jogadores da América do Sul, mas sabia que seria difícil. Mas fiquei muito feliz, contei para a minha filha, que ficou até mais emocionada que eu, e agora, na segunda convocação, fiquei muito emocionado também”, afirmou.

“No momento não pude ficar muito feliz, porque meu gol diminuiu o placar para 2 a 1 (contra a Venezuela), mas o gol fez o nosso time reagir e foi muito bom para mim. Eu espero fazer mais pela seleção, mas fazer o primeiro gol é especial, porque você não sabe se poderá fazer de novo. Depois do jogo eu fiquei muito feliz pelo gol, que foi importante para empatarmos o jogo como visitante contra um time muito difícil”, contou.

Gol no Brasil?

No ano passado, Pratto acabou se envolvendo em uma polêmica, com seu nome sendo cogitado para defender a Amarelinha e ele correndo atrás da nacionalidade brasileira. No entanto, em entrevista à Goal Argentina ainda em 2015, o atacante tratou de explicar que não queria jogar pelo Brasil, queria a nacionalidade tupiniquim por razões pessoais e sonhava em defender a Albiceleste, o que se concretizou neste ano.

Agora, ele tem outro sonho, que também envolve o Brasil, mas de uma maneira diferente. A Argentina vai enfrentar o Brasil em 10 de novembro, pelas Eliminatórias, no Mineirão, estádio que Pratto conhece tão bem e já brilhou em um clássico, definindo uma vitória do Atlético-MG sobre o Cruzeiro. O atacante quer brilhar no dérbi continental no Gigante da Pampulha, e revelou à Goal Brasil que já está sonhando com o jogo e não quer enfrentar Neymar.

“Estou pensando mais nos próximos jogos e evito pensar nisso (clássico com o Brasil), porque sei que a próxima convocação depende do meu desempenho nos próximos dois jogos, mas é verdade, eu tento imaginar às vezes como seria fazer um gol no Mineirão contra o Brasil. Seria ótimo ser convocado, porque conheço a cidade e o campo. Eu espero que o Neymar não jogue contra a Argentina (risos), mas é sempre bom jogar com os melhores”, contou.

Falando em jogar com os melhores, Pratto atuou ao lado de Lionel Messi em sua estreia na Argentina – o que causou muitas brincadeiras com ele no Galo -, no clássico com o Uruguai, que marcou o retorno do camisa 10 do Barcelona ao selecionado hermano, após ele declarar sua aposentadoria depois de mais um vice, desta vez na Copa América Centenário. Naquele dérbi, o craque teve uma grande atuação, marcando o gol da vitória em misto de sorte, habilidade, técnica e muito talento, criando grandes jogadas, dando belos dribles, mostrando seu enorme repertório e sendo ovacionado pela torcida.

A curiosidade sempre é enorme quando se trata de Messi, e Pratto contou como foi a convivência com o gênio. “O Messi não fala muito, mas fala o que tem que falar. O grupo já estava fechado quando eu fui convocado, então conversei com ele, mas nada demais, mais coisas dentro de campo e como eu me sentia. Tecnicamente ele leva a bola como um jogador de PlayStation. Isso já faz muita diferença (risos). Ele sempre tem a bola colada no pé, não perde a bola, é muito mais fácil jogar com ele. Ele vê coisas que os outros não veem”, exaltou.

(Foto:JUAN MABROMATA/AFP/Getty Images)

Pratto, porém, não poderá fazer a parceria com Messi novamente contra Peru e Paraguai, já que o camisa 10, se recuperando de lesão, desfalca a Argentina. No entanto, na próxima data Fifa, ele poderá voltar a jogar com o craque, quem sabe contra o Brasil, no Mineirão. Para isso, ele precisará vencer a disputa pela titularidade no ataque com Gonzalo Higuaín, que foi fantástico pelo Napoli na última temporada e começa a atual muito bem, com muitos gols e grandes atuações pela Juventus, apesar de ser criticado na seleção.

O ex-jogador do Real Madrid foi revelado pelo River Plate, enquanto Pratto saiu das categorias de base do Boca Juniors. Seria essa uma espécie de dérbi por um lugar no ataque da Argentina? “A pergunta de se podemos jogar juntos deve ser feita para o treinador (risos). Mas acho que pelo sistema tático que a Argentina usa, só devemos ter um atacante de área, mas a concorrência vai ser limpa e bacana, entre dois jogadores que são bons”, afirmou o Urso, antes de exaltar o companheiro de seleção.

“O Pipa é um jogador diferenciado, que faz 30 gols por ano nas ligas em que joga, então é um jogador que finaliza muito bem, sabe jogar nas costas dos zagueiros e a hora de pressionar ou não. Não tenho muito o que falar dele, só elogios, porque é um dos melhores atacantes do mundo e mostra isso em todos os jogos. Mas eu também tenho minhas armas, estou jogando bem, fui bem nos primeiros dois jogos em que fui convocado, então a decisão de quem joga é do treinador”, finalizou.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook