Últimas

João Paulo diz que habitação será uma das prioridades

Durante sua visita, Jo
Durante sua visita, Joo Paulo tambm fez crticas gesto do atual prefeito Geraldo Julio (PSB). Foto: Roslia Rangel/DP

Na entrada do Conjunto Habitacional Abençoada por Deus, na Iputinga, um carro de som anunciava na tarde desta quinta-feira (6) a chegada do candidato do PT à Prefeitura do Recife, João Paulo. Os moradores esperavam para ouvir do petista uma declaração em favor das famílias que residem no local e que, segundo afirmaram, estão vivendo em condições precárias de saneamento e limpeza. Eles também anseiam por investimentos em programas socais que possam atender, principalmente, as crianças e os jovens.

O conjunto habitacional foi construído em 2008 durante a segunda gestão de João Paulo na Prefeitura do Recife. As 428 unidades habitacionais abrigaram famílias que moravam em palafitas da comunidade Abençoada por Deus, nome que batizou o novo habitacional.

Acompanhado do candidato a vice-prefeito Silvio Costa Filho (PRB), e dos vereadores reeleitos Marília Arraes e Jairo Brito, ambos do PT, João Paulo chegou ao local pouco depois das 14h. Foi abraçado e fez muitas selfies. Circulou pelas ruas estreitas do habitacional, onde foi possível observar esgoto a céu aberto e lixo amontoado. Questionado sobre a opção de iniciar no residencial Abençoado por Deus a campanha de rua no segundo turno, usou do simbolismo para explicar a escolha.

“Começamos aqui porque tem uma simbologia muito grande com pessoas que mais precisam na cidade e tem tudo a ver com a política de habitação. Mas, acima de tudo, tem a ver com o fazer . E fizemos mais e melhor que a atual gestão. É isso que vai ser discutido de forma mais clara no segundo turno de forma, quando teremos a comparação dos governos (dele e do atual prefeito Geraldo Julio/PSB). Temos um resultado muito melhor que a atual gestão”, destacou o petista.

A copeira Wellingta Maria da Silva, 39 anos,  mãe de três filhas e com uma neta, mora no residencial desde 2008. Ela, no entanto, disse que faz parte do segundo grupo de moradores que chegou ao local e por isso vive até hoje com auxilio-moradia (R$ 200,00). “Ninguém nunca resolveu essa a situação. Além disso, não temos apoio do poder público para atender as crianças e os jovens. Até a associação dos moradores está fechada”, reclamou.

No final da visita, em cima do carro de som, João Paulo fez um rápido discurso. Ele também foi questionado por uma moradora sobre a situação das pessoas que estão no auxílio-moradia. “Uma das prioridades do nosso governo será cuidar da habitação e vamos resolver esse problema”, garantiu.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook