Últimas

Marchezan e Melo buscam votos do PT e do PSOL no 2º turno em Porto Alegre

Pouco depois que os números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmaram a presença dos candidatos Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB) no segundo turno em Porto Alegre, ambos falaram aos eleitores, em discursos marcaram o começo da campanha para a segunda parte do pleito, prevista para o dia 30.

Com a disputa pelos votos dos candidatos que ficaram de fora, o desafio para ambos os candidatos será herdar os votos de Raul Pont (PT) e Luciana Genro (PSOL). Os partidos de Marchezan e Melo defenderam o processo que culminou no impeachment da presidenta Dilma Rousseff, movimento que o PT e o PSOL chamaram de “golpe”.

Para Marchezan, que liderou o primeiro turno com 29,84% dos votos, conquistar esses eleitores não será problema, porque as pessoas não ligam tanto para os partidos na hora de votar. “A sociedade está muito angustiada com a situação financeira, com a falta de serviços públicos e está buscando algo no que acreditar. Está buscando causas. Acho que conseguimos, de alguma forma, passar uma mensagem de que vamos levar isso para a prefeitura.”

Melo, por sua vez, ressaltou que o eleitor tem apenas dois caminhos. “Ou ele vota em uma [das candidaturas], ou não vota em ninguém. Nosso foco, agora, é tentar um diálogo com esse cidadão, mostrando nossas proposições para os avanços de que a cidade precisa”, afirmou.

O candidato, que é vice do atual prefeito José Fortunati, comemorou o fato de a atual gestão ter conquistado o direito de disputar o segundo turno das eleições. “O governo foi aprovado pela cidade de Porto Alegre, porque as nossas candidaturas foram amplamente reconhecidas pela população.”

Legislativo

Para a Câmara Municipal de Porto Alegre, o partido que conquistou mais cadeiras dentre as 36 da Casa foi o PMDB, que elegeu cinco vereadores. O PP, o PTB e o PT elegeram quatro vereadores cada um; o PSOL e o PDT, três; o DEM, o PRB e o PSB conquistaram duas cadeiras. O PR, o Novo, o PSD, o PSDB, o SD, a Rede e o PROS elegeram um vereador cada.

A candidata que liderou o pleito para a Câmara na capital gaúcha foi Fernanda Melchionna (PSOL), com 14.630 votos, 2,12% do total. Já o Professor Wambert Di Lorenzo (PROS) foi o que menos precisou de votos para se eleger: 2.906, ou 0,42% do total.


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook