Últimas

Ora Bolas: O dia que um ídolo do futebol português desistiu de defender o Santos

Com ajuda da FPF, Paulo Futre acertou verbalmente com o Peixe em 1998, mas voltou às pressas à Europa




GOAL Por Bruno Andrade


O Santos foi campeão mundial em 1962 em cima do Benfica e, neste sábado, na Vila Belmiro, reencontrará o clube português no amistoso em homenagem ao lateral-esquerdo Léo. Mas a relação do Peixe com o futebol da Terrinha esteve perto de ter uma ligação ainda maior no primeiro semestre de 1998. Paulo Futre, um dos cinco principais jogadores do país de todos os tempos, chegou a fechar um acordo verbal, porém desistiu de vestir a camisa alvinegra um dia antes de ser apresentado.

Em biografia lançada em 2011 (“O Português”, escrita por Luís Aguilar), o ex-atacante contou detalhes da curta aventura no Brasil no fim dos anos 90. Para valorizar o Campeonato Paulista, a Federação Paulista de Futebol inovou e decidiu ir atrás de grandes nomes para reforçar as principais equipes. O então presidente Eduardo José Farah viu em Futre, que já cogitava encerrar a carreira no Atlético de Madrid, um nome interessante para brilhar na Portuguesa.

“O Brasil me soou bem, era música para os meus ouvidos. Eu já estava para pendurar as chuteiras, mas ainda tinha condições de fazer alguns jogos, principalmente em um país que iria me proporcionar vida boa. Futebol, samba, praia e um campeonato calminho”, explicou.

Ao pisar em solo brasileiro, o veterano atacante não se entendeu com a diretoria da Lusa. Aos 32 anos e mesmo com problemas constantes nos joelhos, ele foi aprovado nos exames médicos feitos no Canindé, mas acabou se revoltando com três atrasos consecutivos dos dirigentes em menos de dois dias.

“Sabem quem é que vocês têm pela frente aqui? Liguem lá para os seus familiares em Portugal. Depois de tamanha falta de respeito, não jogo na Portuguesa nem morto”, relembrou.

Revelado pelo Sporting e campeão da Liga dos Campeões com o Porto em 1986/87 – eleito o segundo melhor jogador da Europa na mesma temporada, Futre era famoso pela pinta de galã e virou referência no futebol internacional ao defender o Atlético de Madrid, onde ganhou duas Copas do Rei. Foram duas passagens pelo clube espanhol: entre 1987 e 1993 e 1997 a 1998 (212 jogos e 51 gols).

Mesmo com a Portuguesa descartada, Farah não quer perder a “primeira versão portuguesa de Cristiano Ronaldo” e logo abriu conversas com o Santos. Futre também gostou da opção. Ambos viajaram à Baixada Santista e acertaram verbalmente com o clube, que na ocasião era presidido por Samir Jorge Abdul-Hak. FPF e Peixe dividiriam o salário do atacante, que também passou por Benfica, Olympique de Marselha, Milan e West Ham.

“Clube histórico, praia, aceitaram as minhas condições… Tudo certo!”, descreveu.


(Fotos: Getty Images)

Um dia antes de Paulo Futre ser apresentado na Vila Belmiro, com direito a participação especial de Pelé, a Portuguesa deu uma “nova cartada”. Desta vez, o clube de origem lusitana acusou por meio da imprensa o ídolo português de ter pedido um helicóptero e uma limousine para assinar contrato.

Assustado com a pressão da mídia, Futre começou a repensar a decisão de jogar no futebol brasileiro. Mas o que fazer para fugir do acordo com o Peixe que estava à espera de apenas uma assinatura?

“O Brasil não é para mim, estava com um pressentimento ruim. Como sair daquela armadilha sem me queimar na Europa? Liguei para um amigo em Madrid e pedi para que ele internasse a minha mulher (Isabel) no hospital. Avisei que precisava ir embora e voltaria em dois dias”, explicou.

“O Atlético de Madrid soltou o comunicado ‘Mulher de Futre internada’. Só eu, ela e meu amigo sabíamos que era mentira. Minha esposa saiu do hospital duas horas depois da nota oficial do clube. Resolvido”, completou.

Dito e feito. Paulo Futre embarcou às pressas à Espanha na mesma noite, mas… Nunca voltou. Ele enviou um fax para agradecer ao Santos e à Federação Paulista de Futebol e, poucos dias depois, fechou com o Yokohama Flugels, do Japão, onde fez apenas 16 jogos (três gols) e encerrou a carreira.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook