Últimas

Paula Fernandes desabafa e fala sobre “travada” em dueto com Andrea Boccelli: “Rola é uma perseguição pesada comigo”

Paula Fernandes e Andrea Bocelli fizeram dueto em show em São Paulo - Foto: Reprodução/ Instagram

Paula Fernandes e Andrea Bocelli fizeram dueto em show em São Paulo – Foto: Reprodução/ Instagram

Paula Fernandes deu sua primeira entrevista oficial após a polêmica apresentação ao lado do tenor italiano Andrea Boccelli, em São Paulo, na última quinta-feira (13/10).

Na terceira música do show, a artista cantou apenas a primeira parte da música Vivo por ella, e acabou sendo duramente criticada por sua “travada” performance.

À coluna de Bruno Astuto, da revista Época, Paula contou que sofre perseguição, e que tudo não passou de um erro de comunicação entre artistas e produção.

“Emocionada eu estava, mas travada nunca. Me preparei para isso. O que rola é uma perseguição pesada comigo, em que sempre superdimensionam o que eu faço. Sou uma profissional séria e mereço respeito”, disse.

A confusão, segundo explicou ao jornalista, aconteceu por causa de um mal entendido. Paula Fernandes contou que foi escalada para cantar os dois primeiros versos da música, e que a soprano Maria Aleida faria a parte mais aguda.

Paula Fernandes cantou apenas os dois primeiros versos da canção - Foto: Reprodução

Paula Fernandes cantou apenas os dois primeiros versos da canção – Foto: Reprodução

“Naquela tarde, eu havia ensaiado com o maestro três canções, uma minha, uma com ele, “Canção da terra”, e, na hora do “Vivo por ella”, era impossível eu fazer a parte aguda, porque sou contralto. Então o produtor do espetáculo separou os dois primeiros versos para eu cantar, e me disse que a soprano faria a parte mais aguda”, explicou.

A sertaneja continuou explicando que Andrea não soube da mudança e também foi pego de surpresa:

“Na hora em que eu estava na coxia, praticamente entrando no palco, alguém me disse que a soprano estava com dor de garganta e não poderia cantar. Eu perguntei: ‘O Andrea está sabendo?’. Disseram que sim, mas ele não sabia. Na hora H, eu cantei os dois versos, ele não sabia, e ficou aquele silêncio. Ou seja, o que aconteceu foi uma desorganização da produção. Nem sei se ela estava doente, estou relatando o que me foi passado. O que eu vi é que ela pronta, arrumada, foi lá para trabalhar. Mas não subiu ao palco”, completou.

Em outro trecho da entrevista, Paula contou que está bastante chateada com as críticas, e que é preciso parar com a cultura de crucificação:

“Estou, sim [chateada], e decidi falar sobre isso, porque é preciso dar um basta nessa cultura de crucificação. Volta e meia dizem que eu sou antipática, metida; o que eu sou é reservada, caseira, discreta e tímida. Não crio um personagem para o público, procuro levar minha carreira de uma forma profissional e honesta. Não sou vaselina, sou autêntica. Antigamente, isso era uma qualidade, mas, neste tempo de evasão de privacidade, discrição virou ofensa, é muito louca essa inversão de valores”, explicou.

A cantora ainda contou à publicação que era impossível improvisar no momento: “Não posso improvisar num tom que não é a minha região. E ainda tem o fato de eu achar que o Andrea tinha sido avisado de que a soprano não cantaria”, completou.


Fonte: Cenapop.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook