Últimas
marechal

Presidente da Câmara assume prefeitura de Marechal Deodoro

Abelardo Leopoldino assumiu cargo na manhã desta segunda-feira (3). Ele tomou posse após afastamento de Cristiano Matheus pela Justiça.

 

Depois de duas semanas sem prefeito na cidade de Marechal Deodoro, na Região Metropolitana de Maceió, o presidente da Câmara de Vereadores, Abelardo Leopoldino, assumiu o cargo, vago desde o afastamento temporário do prefeito Cristiano Matheus (PMDB), acusado de improbidade administrativa pelo Ministério Público Federal (MPF).

A vice-prefeita Yolanda Gomes (PMDB) que recebeu do presidente da Câmara o ofício comunicando a decisão da juíza Izabelle Marne, da 2ª Vara da Justiça Federal, para que ela assumisse o cargo em decorrência do afastamento do prefeito, mas ela não tomou posse.

Leopoldino informou que marcou duas vezes a sessão solene para a posse e, na segunda vez, recebeu um pedido do advogado de Yolanda para adiar a sessão. O advogado Luiz Lopes afirmou que ela está em depressão e que entregou o atestado médico junto ao pedido de adiamento.

Nesta segunda-feira (3), foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) um decreto da Câmara Municipal de Marechal Deodoro declarando vago o cargo de vice-prefeita.

Depois do decreto, foi convocada uma sessão solene, quando o vice-presidente da Câmara, Everaldo Souto, empossou Leopoldino. “A cidade já estava com problemas para pagamentos de fornecedores e os funcionários, que recebiam sempre dia trinta, estavam preocupados com a falta do pagamento”, comentou o novo prefeito.

Enquanto não havia prefeito, não poderia ser feita nenhuma movimentação financeira. “Foi assinado o pagamento e só falta a a liberação bancária. O gerente do banco informou que até três horas da tarde os salários devem estar na conta”, falou.

Apesar de Leopoldino dizer que Yolanda não irá mais para o cargo, o advogado dela, Luiz Guilherme Lopes, nega a informação. “O cargo dela não está vago e ela ainda vai assumir interinamente. Ela está internada e a médica vai fazer uma reavaliação hoje. Se a médica liberar, imediatamente ela assume o cargo”, disse.

 

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook