Últimas

Proclamação do evangelho agora é ilegal no Paquistão

11/10/2016 – 21:00

TVs cristãs são fechadas pelo governo



Proclamação do evangelho agora é ilegal no Paquistão Proclamação do evangelho agora é ilegal no Paquistão

O governo do Paquistão fez mudanças na legislação e fechou 11 emissoras de televisão cristãs, alegando que as transmissões são “ilegais”. Mushtaq Anjum, um líder cristão paquistanês que trabalha com mídia, lamentou: “Os cristãos não terão mais espaço em canais de televisão.” Para ele, trata-se de uma lei discriminatória.

A perseguição aos cristãos no Paquistão está aumentando rapidamente nos últimos anos. O extremismo islâmico é generalizado no país. Ataques religiosos contra os fiéis e lugares de culto não muçulmanos são comuns.

A medida regulatória emitida pela Autoridade Paquistanesa de Regulamentação da Mídia Eletrônica resultou no fechamento dos canais que transmitem programas de teor cristão em língua urdu, tanto evangélicos quanto católicos.

Isso inclui canais pagos e os que transmitem pela internet. Desde setembro estão proibidos de operar no país God Bless Tv, Barkat Tv, Praise Tv, Zindagi Tv, Shine Tv, Jesus Tv, Healing Tv, Khushkhabari Tv, assim como a Tv Rede Católica Diocesana de Lahore.

Anjum e outros líderes pedem a intervenção de Kamran Michael, o ministro federal cristão, para que ele se pronuncie sobre esse “atentado contra a liberdade de praticar a própria religião”. Eles lembram que Muhammad Ali Jinah, considerado o fundador do Paquistão, sempre defendeu uma sociedade livre e não um país islâmico.

Estatística crescente

A perseguição religiosa em solo paquistanês só aumentou no último ano. O governo atual já mostrou que não se importa com as minorias religiosas num país onde 98% da população se declara muçulmana. Por causa da proximidade com o Afeganistão, grupos como Talibã e Al Qaeda possuem bases fortes no país.

A ONG Movimento de Solidariedade e Paz no Paquistão publicou um relatório onde denuncia que, em média, 700 jovens cristãs são sequestradas, violadas e forçadas a casar com islâmicos a cada ano.

A radicalização é comprovada de diferentes maneiras, incluindo o extermínio de cães por conta de preceitos religiosos. No mês passado, as chamadas leis antiblasfêmia puniram um adolescente cristão com a prisão.

Seu crime foi ter clicado no botão “curtir” de uma foto “imprópria” da Kaaba no Facebook. O local é o ponto mais sagrado do mundo para os fiéis muçulmanos. Com informações de Agência Fides


Fonte: Gospelprime.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook