Reforços pedidos por Bauza vivem má fase no São Paulo

Buffarini, Cueva e Chávez não estão conseguindo corresponder o esperado

Durante a última janela de transferências internacionais, o São Paulo atendeu as solicitações de Edgardo Bauza e reforçou o elenco com três antigos desejos do treinador: Cueva, Chávez e Buffarini. Pouco tempo depois, porém, o Patón deixou o clube do Morumbi para assumir a seleção argentina e Ricardo Gomes foi contratado para dar continuidade ao trabalho. O problema é que no momento em que a equipe precisa somar o máximo de pontos possíveis para se afastar da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, as maiores apostas do antigo comandante não estão conseguindo corresponder o esperado.

Christian Cueva foi quem chegou primeiro ao Tricolor e, portanto, foi quem mais trabalhou com Bauza. O peruano, que assinou contrato de quatro anos com o São Paulo, teve boas atuações nos seus primeiros jogos e se tornou uma das esperanças para suprir a saída de Paulo Henrique Ganso, que foi negociado com o Sevilla.

Nas últimas atuações, porém, está sendo possível perceber que Cueva vem tendo dificuldades de manter um nível de regularidade não só de um duelo para o outro como também dentro de uma mesma partida, principalmente na questão do aspecto físico.

Para a comissão técnica, o jogador, que até o momento disputou 17 jogos e marcou cinco gols com a camisa do Tricolor, ainda está em processo de adaptação ao futebol brasileiro. O calendário apertado e os dias longe do clube para defender a seleção peruana acabam tornando esse processo mais lento.

Contratado por empréstimo do Boca Juniors, o argentino Andrés Chávez, por sua vez, empolgou no início com seis bolas na rede em seus oito primeiros jogos pelo clube do Morumbi. Agora, porém, o centroavante vive uma seca de seis partidas. Seu último gol foi na vitória por 3 a 1 contra o Figueirense, no dia 11 de setembro, no Morumbi.

O camisa 9, que atuou os 90 minutos em 13 dos 15 confrontos dos quais participou com a camisa do Tricolor, teve pelo menos uma oportunidade para acabar com o jejum contra Sport, Flamengo, Vitória, Juventude, Atlético-PR e Cruzeiro. As mais emblemáticas foram contra o time mineiro, quando desperdiçou um pênalti e contra o Flamengo em que acabou parando no goleiro Alex Muralha.

Quem vem tendo as maiores dificuldades, porém, é justamente o principal desejo de Bauza: Julio Buffarini. O jogador, que era insistentemente pedido pelo antigo treinador do São Paulo, chegou poucos dias antes da saída do Patón após a diretoria do Tricolor desembolsar cerca de R$ 6 milhões.

O lateral-direito chegou com status de titular absoluto e ganhou o carinho da torcida são-paulina. Com o passar dos jogos, porém, acabou perdendo espaço na sua posição de origem para Bruno, que é considerado mais ofensivo pela comissão técnica.

Buffarini tem preocupado Ricardo Gomes, principalmente na questão disciplinar. Em apenas dez jogos, ele já recebeu cinco cartões amarelos. Afobado muitas vezes, o argentino ficou dois jogos sem sequer ser utilizado. No empate contra o Sport, voltou a ganhar chance, mas como lateral-esquerdo ao entrar no intervalo no lugar de Matheus Reis, que se lesionou, e por Mena estar com a seleção chilena.



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
SP acerta venda de Ademilson | Resumo da 29º rodada | As probabilidades do BR



Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook