Últimas

Titular na ausência de Marcelo, Filipe Luís revela presente de Tite e fala sobre duelo com a Bolívia

Lateral que ganhou um livro do treinador elogiou também o ex-técnico Dunga

Com elenco completo, o técnico Tite comandou o segundo treino da Seleção Brasileira de olho no duelo contra a Bolívia, na próxima quinta-feira (6). O treinador promoveu algumas mudanças na equipe. Uma delas foi a entrada de Filipe Luís, que será titular na lateral-esquerda no lugar de Marcelo, cortado por conta de lesão.

 

Após o treinamento, Filipe Luís atendeu aos jornalistas ao lado do meia Giuliano. O jogador revelou que ganhou um livro de presente de Tite e como o treinador lhe disse que havia escolhido escalar Marcelo como titular.

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

“O Tite demonstra ser uma pessoa extremamente justa. Ele me chamou, disse que tomou a decisão (de escalar Marcelo), não tem como eu não respeitar, e disse que me respeitava e queria me dar um livro de presente. Eu já li. Isso me conquistou. Todo mundo quer jogar, mas não tem como reclamar porque quem joga tem muita qualidade.Todo mundo quer jogar, mas a maneira como o Tite falou comigo me trouxe ainda mais para o lado dele. Quero muito fazer parte desse grupo”.

 

Confira os principais trechos da entrevista coletiva:

 

Informações sobre a Bolívia

 

“Vocês conhecem o Tite há muitos anos, é muito perfeccionista, detalhista, estuda os mínimos detalhes e prepara o que pode acontecer no jogo. Ele passou muitas informações contra a Bolívia, vai continuar passando para que em momento algum sejamos pegos de surpresa. Para que saibamos como jogam os jogadores, que armas eles têm. Eles jogarão mais fechados, é complicado entrar.”

 

Elogios a Dunga

 


(Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press / Divulgação)

 

“Quando o Dunga estava aqui, um grande técnico, me deu oportunidade e sou muito agradecido, as coisas não saíram como queríamos. Tenho certeza de que não foi culpa dele. Às vezes, mudanças são bem vindas. São dois técnicos com maneiras diferentes de trabalhar, a mesma ambição de vencer, e a Seleção está recuperando o hábito de ganhar, de se sentir respeitada, com muita humildade.”

 

Jogo contra a Bolívia

 


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

 

“Obviamente a Bolívia vai estudar bem nossa Seleção, nós vamos estudá-los da mesma forma. O que queremos são jogadores bem em seus clubes, quanto mais qualidade tivermos, pior para eles. Não tenho dúvida de que vão se fechar bem, mas quanto mais qualidade tivermos em campo, independentemente de onde jogue, ninguém se poupar nada, tentar o drible, triangulando, e atenção atrás.”

 

Jogar na Arena das Dunas

“A seleção brasileira me proporcionou conhecer quase todos os estádios da Copa do Mundo, é uma alegria grande. A Arena das Dunas é linda como são os outros.”

Paciência contra a Bolívia

 “A paciência é importante, mas não podemos ser passivos no jogo. Temos que agredir o adversário desde o início. Quanto mais passa o tempo melhor para eles. Temos que criar chances de gol, acredito que se dominarmos o jogo. Eu jogo num time que joga sem a bola e cansa. Fazendo isso, teremos a chance de contra-atacar a saída deles. Será um jogo tático, não vai ser fácil.”

Craques no elenco


(Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press / Divulgação)

“Todo clube grande na Europa quer ter um craque com essa individualidade, esse último drible, frieza ao fazer o gol. Muitos não têm. Os diferentes têm um craque, o cara que abre defesas, e nós temos vários desses na Seleção. Sempre foi difícil conseguir solidez defensiva, muitas vezes fomos desorganizados. Vejo agora um time preparado taticamente, e com essa ambição de querer ganhar.”


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook