Últimas

Vigília e orquestra marcam comemorações dos 85 anos do Cristo Redentor

A ideia de construir o Cristo Redentor no Morro do Corcovado foi lan
A ideia de construir o Cristo Redentor no Morro do Corcovado foi lanada em 1921, para celebrar o centenrio da independncia no ano seguinte. Foto: Alexandre Macieira/ Riotur

Para comemorar os 85 anos do Cristo Rendentor, a Arquidiocese do Rio de Janeiro promoveu uma vigília aos pés do monumento com jovens de diversas regiões da cidade durante toda a madrugada. Pela manhã, a Orquestra Sibélius e o Coro Preto, composto por 85 vozes sul-americanas, apresentaram o Concerto de Aniversário.

Após a tradicional Missa em Ação de Graças, celebrada pelo reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar, os participantes das comemorações cantaram parabéns. O bolo foi feito pela Sociedade dos Amigos da Rua da Carioca (Sarca), que também oferece o bolo no aniversário da cidade.

A festa surpreendeu turistas, como a nutricionista Franciele Barufi, do Rio Grande do Sul, que estava na cidade a trabalho desde segunda-feira (10) e aproveitou para visitar o monumento antes de seguir para o aeroporto. “É muito emocionante, um lugar muito bonito. Conhecer num dia comemorativo é melhor ainda, está muito legal, tem banda, a santa missa. Me trouxe muita paz, é um símbolo de alegria, muito tradicional do Brasil inteiro. E a vista é maravilhosa.”

A atendente comercial Virgínia Gabriela, de Minas Gerais, também visitou o Cristo hoje pela primeira vez e ficou encantada com o lugar. “É maravilhoso, foi coincidência, eu não sabia [do aniversário], cheguei e estava tendo toda essa cerimônia, eu estou encantada. É lindo, a gente fica sem palavras. A gente cansa de ver na televisão, mas tem que vir, só ao vivo mesmo para a gente ver como é. É muito lindo mesmo, maravilhoso.”

Estudantes de Belém do Pará, Rafael Duarte e Fernanda Oliveira ficaram impressionados com a paisagem. “É a minha segunda vez aqui, a dela é a primeira. É lindo, estou vendo a paisagem pela segunda vez, mas é impressionante, mesmo que eu já tenha visto. Hoje o Cristo está em festa, a gente chegou aqui estava tendo uma orquestra, é muito bonito, impressionante”, disse Duarte.

Já o português Diamantino Martins tem uma operadora de turismo em Portugal e disse que já visitou o Cristo mais de 100 vezes, por causa do trabalho. Ele sabia da comemoração e fez questão de participar, para celebrar também os 52 anos de casamento de seus pais. “Não cansa, não enjoa, já vim com chuva, com nevoeiro, sem conseguir ver o Cristo, mas o que importa é estar aqui. Ganhei essa paixão pelo Brasil há 23 anos, quando vim a Salvador. A partir daí desenvolvi meu negócio com foco no Brasil, principalmente no Rio de Janeiro. Eu sempre escutava a canção que [diz que] o Rio de Janeiro é uma cidade maravilhosa, mas a primeira vez que vim aqui estava chovendo no primeiro dia, mas ganhei uma simpatia na cidade. Mas, no segundo dia, quando saiu o sol, eu me apaixonei”, contou.

A ideia de construir o Cristo Redentor no Morro do Corcovado foi lançada em 1921, para celebrar o centenário da independência no ano seguinte. Após um concurso para a escolha do projeto, vencido pelo engenheiro e arquiteto carioca Heitor da Silva Costa, a construção começou em 1926 graças a doações da população.

Com 30 metros de altura, o Cristo é revestido por pequenas peças de pedra-sabão, que formam um mosaico. A execução da obra contou também com o trabalho do pintor Carlos Oswald e do escultor Paul Landowski. Segundo a Arquidiocese do Rio, o monumento, que fica no Parque Nacional da Tijuca, é considerado o mais importante ícone da cidade para o turismo mundial. Também foi eleito, em 2007, uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. 


Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook