Últimas
girau

Vítima de esquartejamento em Girau foi morta por engano, diz delegado

Suspeitos disseram que o mataram porque ele assassinou duas crianças. Delegado Itamar Uchôa disse que isso foi descartado e vítima era inocente

 

O homem que foi vítima do esquartejamento no dia 12 deste mês em Girau do Ponciano, município do Agreste do de Alagoas, foi morto por engano, segundo o delegado que investiga o caso, Itamar Uchôa. Ele explicou que os criminosos o confundiram com um acusado de matar duas crianças, mas que ele não teve envolvimento com esse ou nenhum outro crime.

Quatro homens foram presos e uma adolescente de 13 anos, apreendida. Todos são suspeitos de participação no esquartejamento de Genaldo Porciano. A adolescente, que diz estar grávida, admitiu ter participado do esquartejamento "por diversão".

Os presos Romário dos Santos Silva, 26, e Ubirajara da Silva Santos, 26, também confessaram o crime. Além deles, a polícia também prendeu Brismark Lisoba, 24, e Eduardo Fernandes dos Santos, 30, mas eles negam participação. Uma outra suspeita, identificada como Thayse Nascimento Duarte, 19, que seria a mentora do grupo, está foragida.

O delegado informou que, em depoimento, o grupo alegou ter assassinado Porciano porque ele seria o responsável pela morte das crianças. “Investigamos o caso que eles citaram e descobrimos que foi em outro estado e que o acusado foi o pai das crianças, que foi rpeso se enforcou na delegacia”, disse.

Uchôa destacou que também não foi encontrado nenhum antecedente criminal de Porciano. “Testemunhas contaram que ele não tinha envolvimento com nada ilegal. Por descartar a participação dele na morte das crianças, acredito que morreu por engano”, falou.

Ainda segundo o delegado, os suspeitos fazem parte de uma quadrilha envolvida em tráfico de drogas. “Eles tiveram vontade de matar alguém no dia e escolheram essa vítima para esquartejar. Não tinha nada que apontasse que ele participou do caso. Os suspeitos apenas acreditaram que ele era o assassino de um caso que circulava nas redes sociais por isso decidiram matá-lo”, completou.

Vídeo do crime foi divulgado na internet
A adolescente detida é uma das mulheres que aparecem em um vídeo, que mostra a ação criminosa. As imagens foram divulgadas nas redes sociais e chegou ao conhecimento da polícia, que encaminhou o vídeo para análise técnica.

O corpo da vítima foi foi encontrado em uma área no sítio Folha Miúda, na zona rural do município. A cabeça e alguns órgãos haviam sido arrancados. Nas imagens divulgadas na internet, duas mulheres aparecem com facões cortando os órgãos dele. O material utilizado no esquartejamento foi apresentado durante a coletiva.

O delegado informou que apesar das imagens mostrarem apenas a adolescente, todos os suspeitos presos e Thayse participaram da execução.

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook