Últimas

Vitória do Palmeiras contra WTorre é quase um título; entenda por que

Paulo Nobre disse que derrota seria um “desastre” financeiro, mas agora o clube terá melhores condições de ser campeão nos próximos 28 anos

O Palmeiras está na briga pelos títulos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro, mas já pode comemorar um grande conquista em 2016: a vitória importante na Justiça contra a WTorre, construtora que reformou o estádio do clube. É um feito relevante que pode ser comemorado como título porque vai dar milhões de reais ao Palmeiras nos próximos 28 anos – tempo de vigência restante do contrato entre o clube e a empresa.



GOALVEJA TAMBÉM: GOAL
Notícias do Palmeiras | Palmeiras vê vitória como marcante | Mais perigosos do Brasileirão


O caso estava para ser julgado na Câmara de Arbitragem e Conciliação da Fundação Getúlio Vargas desde 2014. A WTorre alegava ter direito a vender todas cadeiras do Allianz Parque como cativa. O Palmeiras conseguiu defender que a construtora tem direito apenas a 10 mil cadeiras.

Como disse o presidente Paulo Nobre nesta terça, “caso a interpretação certa fosse a da parceria (WTorre), seria um desastre na vida da Sociedade Esportiva Palmeiras. As próximas três décadas estariam comprometidas financeiramente”. Faz sentido: a WTorre passaria a ficar com grande parte do valor dos ingressos, cerca de R$ 600 mil por jogo, levando em consideração a média de público atual. Em um ano, considerando que o time faça 30 jogos em casa, o Palmeiras perderia aproximadamente R$ 18 milhões. Ao longo dos 28 anos de contrato entre WTorre e Palmeiras, isso significaria pelo menos R$ 600 milhões, que agora ficarão no caixa do clube. 

Outra vantagem é que o Palmeiras poderá manter o programa de sócio-torcedor Avanti como está ou administrá-lo da maneira que bem entender. Se as cadeiras passassem para a WTorre, o clube correria risco de ter que mudar tudo, pois a construtora venderia grande parte delas como cativas. “Com a decisão, o Palmeiras vê salvaguardados seus direitos, vê seus planos podendo seguir em frente, e tudo o que plantamos nos últimos quatro anos sem a possibilidade de sucumbir”, confirmou Nobre.


Paulo Nobre comprou a briga contra a WTorre e ganhou (Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

A vitória também política, pois quem comprou essa briga contra a WTorre foi o presidente Paulo Nobre, assim que começou seu mandato. Parte da oposição preferia que ele mantivesse um bom relacionamento com a construtora e fizesse um acordo. Mas ele quis brigar na Justiça e agora, prestes a sair do cargo, vai entregar um clube muito melhor e mais seguro financeramente.

Existem ainda outros benefícios que podem vir no futuro: na decisão da Câmara de Arbitragem foi alegado que a WTorre precisa finalizar algumas melhorias no estádio, que estavam no projeto original, para colocá-lo no padrão FIFA. São obras de custo alto e há quem acredite que a construtora não fará, podendo até vender sua parte no negócio. Paulo Nobre afirmou que não sabe se a WTorre tem interesse em comercializá-la.


Parceria com WTorre está mantida, apesar da divergência (Foto: Getty Images)

O importante é que por enquanto a WTorre aceitou a decisão da Justiça e emitiu uma nota oficial sem contestação: “apesar da decisão da câmara FGV de conciliação e arbitragem desfavorável à sua demanda, a WTorre reforça seu compromisso com este modelo de negócio vencedor e que tem sido referencia para clubes em todo o país. A companhia não interromperá nenhum projeto em relação à arena, e segue trabalhando firmemente para que ela esteja entre as mais modernas e ativas do mundo”.

O único possível ponto negativo para o Palmeiras é que, com isso, a WTorre precisará encontrar outras formas de ganhar dinheiro com a arena. E como ela tem prioridade para uso do estádio em caso de shows e eventos, o clube correrá mais riscos de ter que mandar partidas fora de casa, seja no Estádio do Pacaembu ou até fora da capital paulista. Mas isso é um risco muito pequeno diante de uma conquistão tão importante. Paulo Nobre não quis chamar de título, mas é quase isso: “não diria que isso foi um título, porque títulos não se comparam com nada, mas é um fator que pode possibilitar que o Palmeiras conquiste vários títulos nos próximos 30 anos”.


Fonte: Goal.com

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook